Trajetória da Ginástica de Academia no Brasil

MAPA MENTAL SOBRE TRAJETÓRIA DA GINÁSTICA DE ACADEMIA NO BRASIL

马上开始. 它是免费的哦
注册 使用您的电邮地址
Trajetória da Ginástica de Academia no Brasil 作者: Mind Map: Trajetória da Ginástica de Academia no Brasil

1. Principais Características

2. GRÉCIA ANTIGA: Os Gregos foram os responsáveis pelo surgimento das primeiras escolas destinadas à preparação de atletas para exibições ginásticas em público e nos ginásios. Foi na Grécia que a ginástica adquiriu seu status de educação física pois ela contribuía para um equilíbrio harmônico entre aptidão física e intelectual no processo de educação. O termo ginástica originou-se do grego “gymnádzein”, que tem por tradução aproximada "treinar" e, em sentido literal, significa "exercitar-se nu", a forma como os gregos praticavam os exercícios. O nome “ginástica” tem origem na palavra grega “gymnós” que significa “nu”, pois foi originalmente praticada por atletas nus. Os gregos eram muito cuidadosos com a questão do desenvolvimento físico e o bem-estar de seus corpos, eles desempenhavam muitas atividades físicas a fim de obterem a perfeição de seus corpos. Assim criaram as Olimpíadas que são uma série de atividades competitivas na qual ganhava o que tivesse um bom condicionamento físico. Inicialmente com o objetivo de agradar aos deuses. Antigas cidades Gregas como Atenas e Esparta levavam a sérios tais atividades físicas.

3. ATENAS:Os Atenienses usavam a ginástica mais com o objetivo de beleza física do que com um caráter militar. Já os Espartanos se utilizavam das atividades de ginástica para a guerra. Eles treinavam os jovens desde os sete anos para o combate. Sempre estavam se preparando mesmo em tempos de paz. Todavia, só a partir dos quatorze anos os rapazes iniciavam a prática da educação física: Exercitavam-se nas palestras, que eram locais fechados e sob os conselhos dos sábios praticavam os exercícios. Aprovados, seguiam, ao completarem dezoito anos para os ginásios tutelados pelos ginastas e formavam-se inseridos em um ambiente onde eram exibidas obras de arte e no qual os filósofos reuniam-se para discutir sobre a união entre corpo e mente.

4. ESPARTA:Os Espartanos, na mesma época, usavam a ginástica unicamente com o propósito militar. O cidadão espartano deveria ser forte e resistente, um indivíduo apto para as batalhas militares para à qualquer momento defender seu território e a própria Grécia. Isso gerou um modo de viver muito metódico e militar. Todos os cidadãos, incluindo crianças, jovens, adultos e idosos tinham que se exercitar para estarem sempre fortes e bem preparados. Os homens deviam se transformarem em super soldados corajosos sem receio de nada das artes militares, as manobras em campos de batalha ou as ameaças dos inimigos da coletividade. Pois, a coragem, era a principal característica deles. Tal pensamento fez sua participação nos jogos diminuir com o passar dos anos.

5. Principais Métodos e Objetivos

6. Método Francês: O método francês preocupava-se com o aperfeiçoamento motor, considerando as dimensões anato/fisiológicas, dando ênfase nas qualidades físicas mais utilizadas na vida cotidiana, ou seja, na economia de energia, no desenvolvimento físico integral, no aumento da resistência orgânica, além de valorizar aptidões por meio dos exercícios naturais, repudiando os artificiais (CARVALHO,2009). É possível observar que o método francês era voltado para a manutenção das funções diárias do indivíduo, ou seja, aumentando a resistência por meio de exercícios, para que o dia de trabalho e as atividades rotineiras fossem menos exaustivos, focando nos exercícios com objetivo de moldar e adestrar o corpo.

7. Método Sueco: Seu objetivo era desenvolver o corpo humano por meio de exercícios racionais, sempre partindo dos mais simples para os mais complexos (MALTA, 1998). Percebemos que o método sueco desenvolvia, além do físico, aptidões racionais e pedagógicas, mas ao mesmo tempo rígidas com a influência militar nos exercícios, como, por exemplo, as marchas e os exercícios formais, sempre com o objetivo de ser “para todos os públicos”

8. Método Alemão: Na Alemanha, o método de ginástica era executado em aparelhos e em contato com a natureza, tendo um caráter pedagógico, de formação moral e disciplinar, e que houve também a introdução de aparelhos portáteis na ginástica, o improviso na atividade corporal, a valorização do rítmico e o contato do corpo com o solo (CARVALHO, 2009). Diferente dos métodos anteriores, o método alemão tem destaque devido à introdução de aparelhos aos exercícios, diferente dos outros métodos, que só utilizavam o corpo. Tinha como objetivo, criar um espírito nacionalista para defender a pátria. Para atingir o “corpo saudável”, era necessário ter base científica em biologia, fisiologia e anatomia, um conteúdo altamente higiênico para tornar os corpos ágeis, fortes e robustos.

9. Método Calistênico: Este método era formado por um conjunto de exercícios com movimentos rápidos, ritmados e com paradas bruscas, que se executavam ao som da música. Eram praticados com aparelhos leves ou à mão livre, visando grandes massas musculares com o objetivo de manter boa atitude, permitindo perfeito funcionamento das grandes funções e órgãos. Na América do Sul, Alfredo Wood foi o grande apologista da calistênia, que consistia em (GUIMARÃES, 2007):

10. marcha

11. braços e pernas;

12. tronco e região posterossuperior, inferior, laterais, abdominais, ombros e escápulas;

13. equilíbrio e, para terminar, novamente marcha.

14. Apesar da influência sueca, podemos analisar que a diferença deste método está nos exercícios ritmados e na utilização de música para a execução dos movimentos, o que torna a calistenia a grande influência das ginásticas oferecidas nas academias, que tem incorporado aos exercícios a música,

15. Nos dias atuais a ginástica é aplicada em diversas áreas tais como medicina (para melhorar as condições físicas dos pacientes) nas forças armadas na preparação de soldados para uma eventual guerra, na própria busca por uma qualidade de vida mais saudável, nos esportes e no desenvolvimento físico dos alunos. O homem não foi feito para ficar parado, sua estrutura foi construída para se movimentar no meio ambiente no qual ele está inserido, pois ele tem uma grande capacidade de adaptação. Com tanta comodidade e tecnologia, as pessoas estão cada vez mais esquecendo de cuidar de seus corpos e se entregando a uma vida sedentária sem a prática de ginástica, e com o passar dos anos vem uma série de complicações. Muito se tem feito para que as pessoas sedentárias pratiquem exercícios com a utilização de modernos equipamentos de ginástica e também o uso do vídeo game com uma nova tecnologia de captura de movimentos e jogos voltados para a para incentivar a pratica de atividades de ginástica.

16. A Ginástica está dividida em categorias da seguinte forma: Modalidades competitivas e não competitivas.

17. Modalidades competitivas:

18. Ginástica artística desportiva (Masculina e feminina): Também chamada de ginástica olímpica, é uma modalidade esportiva que envolve um conjunto de movimentos que exigem precisão, força, flexibilidade, agilidade, coordenação e equilíbrio, portanto, o domínio do corpo é uma das principais características desses atletas. Veio a se tornar uma modalidade esportiva apenas em 1881, em escolas alemãs tipicamente masculinas. Desse modo, a ginástica artística consagrou-se como a forma mais antiga do desporto e em decorrência disto, sua história é constantemente confundida com a da ginástica em si, o que não fere sua evolução artística individual posterior. Mais tarde, em 1896, até então praticada somente por homens, passou a ser um esporte olímpico, e em 1928 as mulheres puderam participar nos seus primeiros Jogos. No ano de 1950, a ginástica passou a ser praticada nos aparelhos da forma como se conhece hoje. Apesar de despontar para o mundo como um esporte inicialmente masculino, a ginástica tornou-se uma prática mais ativa entre as mulheres. Em decorrência disso, os eventos artísticos femininos tornaram-se mais disputados, admirados e destacados entre todas as modalidades do esporte.

19. As apresentações da ginástica artística são individuais (ainda que nas disputas por equipes), possuem o tempo aproximado de trinta a noventa segundos de duração, são realizadas em diferentes aparelhos (sob um conjunto de exercícios) e separadas em competições femininas e masculinas. Os movimentos dos ginastas devem ser sempre elegantes e demonstrarem força, agilidade, flexibilidade, coordenação, equilíbrio e controle do corpo.

20. Ginástica Rítmica: Também conhecida como GRD ou ginástica rítmica desportiva (nomenclatura antiga), é uma ramificação da ginástica que possui infinitas possibilidades de movimentos corporais combinados aos elementos de balé e dança teatral, realizados fluentemente em harmonia com a música e coordenados com o manejo dos aparelhos próprios desta modalidade olímpica, que são a corda, o arco, a bola, as maças e a fita. Praticada apenas por mulheres em nível de competição, tem ainda uma prática masculina surgida no Japão. Pode ser iniciada em média aos seis anos e não há idade limite para finalizar a prática, na qual se encontram competições individuais ou em conjunto. Seus eventos são realizados sempre sobre um tablado e seu tempo de realização varia entre 75 segundos, para as provas individuais, e 150 para as provas coletivas.

21. A ginástica rítmica desenvolve harmonia, graça e beleza em movimentos criativos, traduzidos em expressões pessoais através da combinação musical, teatral e técnica que transmite, acima de tudo, satisfação estética aos que a assistem. Surgida através dos estudos de Rousseau, assim como as demais modalidades, transformou-se durante o passar dos anos, sempre ligada à dança e à musicalidade, até chegar à União Soviética, onde se desenvolve como prática desportiva, e à Alemanha, onde ganhou os aparelhos conhecidos hoje. A ginasta precisa ter graça, leveza, beleza e técnicas precisas em seus movimentos para demonstrar harmonia e entrosamento com a música e suas companheiras, num ambiente de expressão corporal contextualizada inclusive pelos sentimentos transmitidos através do corpo. Fisicamente, é função desta modalidade desenvolver o corpo em sua totalidade, por meio dos movimentos naturais aperfeiçoados pelo ritmo e pelas capacidades psicomotoras nos âmbitos físico, artístico e expressivo, por essa reunião de característica, é chamada de desporto-arte.

22. Ginástica Trampolins: A ginástica de trampolim mescla esporte com acrobacias e espetáculo. Neste esporte o ginasta deve fazer saltos e acrobacias no ar, pulando em uma cama elástica (trampolim). Os saltos podem atingir cerca de seis metros de altura. Os ginastas são avaliados (ganham pontos) por jurados, de acordo com o nível de dificuldade, acrobacias e permanência no ar.

23. Ginástica acrobática: A Ginástica Acrobática é uma disciplina que requer dos seus praticantes coragem, força, coordenação e flexibilidade. Os exercícios são executados com acompanhamento musical, sobre um tablado de 12m x 12m, devem ser perfeitamente sincronizados com a música e exige-se dos ginastas uma expressão corporal e facial harmoniosa, é praticada em pares e grupos, formados por ginastas com diferentes idades e estaturas, aos quais damos duas denominações: bases e volantes.

24. Modalidades não competitivas:

25. Ginástica fisioterapêutica: É praticada com o objetivo de utilização do exercício físico na prevenção ou tratamento de doenças e para reabilitação de acidentados.

26. Ginástica cerebral: Auxilia as decisões, com maior precisão, eficácia e agilidade, sendo praticada através de exercícios e movimentos coordenados do corpo que executados de maneira apropriada, acessam e estimulam partes específicas do cérebro antes pouco utilizadas e desconectadas do conjunto cerebral. O objetivo da ginástica cerebral é estimular os hemisférios do órgão para que trabalhem simultânea e integralmente, o que oferece a possibilidade de utilização do cérebro de maneira total, em todo o seu potencial.

27. Ginástica Laboral: Originada em 1925, entre os operários poloneses, é uma modalidade de ginástica praticada no local de trabalho, tendo como objetivo principal promover a saúde dos funcionários no ambiente de trabalho com alongamentos, relaxamento muscular e flexibilidade das articulações evitando assim lesões de esforços repetitivos e doenças ocupacionais.

28. Ginástica localizada e de academia: É dita uma das formas mais tradicionais e populares de prática do exercício físico. Com duração de aproximados sessenta minutos, as práticas da ginástica localizada levam ao condicionamento físico, emagrecimento e fortalecimento muscular. É subdividida em categorias menores (step, aeroboxe, body pump, tae fight e circuito), os resultados satisfatórios são atingidos através das repetições, podendo ser praticada de maneira individual ou em grupo com ou sem peso.

29. Ginástica natural, corretiva, de compensação e de conservação: É fundamentada nos movimentos naturais do homem primitivo e nas atividades em contato com a natureza, a ginástica natural tem como base a movimentação no solo do jiu-jitsu os exercícios de força com o peso do próprio corpo, técnicas de alongamento e flexibilidade de forma dinâmica, acrescidos de técnicas de respiração. É um trabalho completo que desenvolve qualidades físicas como força, flexibilidade, coordenação e técnicas de respiração, que proporcionam ao praticante uma grande evolução no seu controle motor e mental. A ginástica corretiva, por sua vez, é uma modalidade de prática individual, de uso da medicina, que visa a correção da coluna vertebral, bem como o tratamento de anomalias musculares e deformações congênitas. Entre alguns desvios posturais que a corretiva é capaz de amenizar estão a escoliose e a hiperlordose. As de compensação e de conservação possuem o mesmo caráter individual da corretiva, e visam a melhora postural do indivíduo antes da fase de correção. Seus exercícios para serem praticados ao ar livre e nas aulas para ambientes fechados, foram desenvolvidos e adaptados de uma forma única e com influências dos esportes praticados por Álvaro Romano, seu criador.

30. Hidroginástica: A chamada ginástica higiênica teve sua origem nas ternas e piscinas públicas, na Grécia antiga e no Império Romano. No Oriente, em relatos chineses e japoneses, esta prática também era comum em forma de massagens e movimentos corporais. A ginástica e a hidroterapia são considerados as precursoras da hidroginástica (com origem em 1950). A hidroginástica tem por finalidade melhorar a capacidade aeróbica e cardiorrespiratória, a resistência e a força muscular, a flexibilidade e o bem-estar de seus praticantes podendo ser praticada por pessoas de todas as idades. Os exercícios aquáticos são divertidos, agradáveis, eficazes, estimulantes, cômodos e seguros. A hidroginástica permite a redução no esforço articular.