Quinolonas (fluoroquinolonas)

Mapa mental Quinolonas.

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Quinolonas (fluoroquinolonas) por Mind Map: Quinolonas (fluoroquinolonas)

1. Antibióticos bastante potentes

1.1. Uso via oral

1.2. Não produzem muitos efeitos colaterais

2. Mecanismo de ação

2.1. Inibir o “superespirilamento”do DNA, ao inibir as enzimas envolvidas, tais como a DNA-girase e topoisomerase IV, impedindo, assim, o processo de transcrição e replicação do DNA bacteriano

3. Usos terapêuticos

3.1. Possuem potente atividade bactericida contra uma grande variedade de microorganismos

3.2. - Infecções urinárias: a quinolona indicada para esse tipo de infecção é o norfloxacino, que possui melhor ação que o sulfametoxazol-trimetoprima. - DSTs: são contra-indicadas na gravidez, não possuem atividade contra o Treponema pallidum, porém são ativas contra Neisseria gonorrhoeae, Chlamydia trachomatis e Haemophilus ducreyi. O ofloxacino, em associação com clindamicina ou metronidazol, é utilizado no tratamento da doença inflamatória pélvica.

4. Resistência bacteriana

4.1. A resistência às quinolonas pode ser adquirida através de mutações dos genes bacterianos codificantes da DNA-girase ou topoisomerase, bem como através do transporte ativo do fármaco para fora da célula.

5. Efeitos adversos

5.1. Náuseas brandas, vômitos e desconforto abdominal constituem os efeitos adversos mais comuns. Cefaléia branda e tontura representam efeitos colaterais no SNC, ocorrendo em 1 a 10% dos caos, alucinações, delírios e confusão mental surgem em casos mais raros.

6. contra quais tipos de microrganismos são eficazes

6.1. Existem as quinolonas de primeira, segunda, terceira e quarta geração.

6.2. As quinolonas de primeira geração incluem o ácido nalixídico e ácido piromídico. Possuem atividade anti-enterobactérias, porém não atuam contra pseudomonas ou bactérias gram-positivas.

6.3. O norfloxacino e ciprofloxacino pertencem às quinolonas de segunda geração. Já atuam contra pseudômonas, porém, assim como as de primeira geração, possuem atividade limitada para o trato urinário.

6.4. De terceira geração temos o levofloxacino, com propriedades superiores ao ciprofloxacino e atividade antipneumocócica, sendo a droga de escolha no tratamento de infecções do trato respiratório. Atuam contra bactérias gram-negativas, incluindo o pseudomonas, e contra estafilococos, podendo ser empregada em infecções sistêmicas.

6.5. Já as quinolonas de quarta geração tem seu espectro de ação aumentado, atuando também contra estreptococos hemolíticos, pneumococos e anaeróbios. Integrantes deste grupo são o clinafloxacin, gatifloxacino, trovafloxacin e sitafloxacin.

7. Fármacos

7.1. Ciprofloxacina: via intravenosa

7.2. Levofloxacina: infusão intravenosa

7.3. Ofloxacina: via oral

7.4. Acrosoxacina: via oral

7.5. Cinoxacina: via oral