Aborto, a favor ou contra a legalização?

Alguns motivos pelo qual o aborto deveria ser legal no Brasil

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Aborto, a favor ou contra a legalização? por Mind Map: Aborto, a favor ou contra a legalização?

1. "Elimina uma vida"

1.1. Caso o aborto fosse legalizado, ele seria permitido até a 24 semana de gestação aonde ele ainda é um feto, não tem sistema nervoso. Ou seja, antes da 24° semana, ele só é um conjunto de celulas

2. "É só colocar para a adoção"

2.1. O processo de adoção no Brasil além de ser demorado, os pais dentem a ter sua preferência, menina, branca, menos de 2 anos, sem irmãos

2.1.1. Quanto maiores as exigências daquele que deseja adotar, mais tempo pode levar. Já para aqueles que se dispõem a adotar crianças de qualquer cor ou estado de saúde, sem exigência de idade e ainda que acolham irmãos, a adoção leva em geral seis meses

2.2. Caso a criança não siga esses padrões exigidos pelos pais, a chance de eles serem adotados é mínima

2.3. Caso a criança complete 11 anos de idade, a chance dela ser adotada passa a ser de 1%

2.4. Crianças brancas são aceitas por 92% dos pais

2.5. Apenas 37% dos pais aceitam crianças que têm irmão(s)

2.6. Deficiências físicas são aceitas por apenas 6% dos pais e deficiências cognitivas apenas 3%

2.7. 27% dos pais aceitam apenas meninas

3. Legalizar diminui o número de abortos

3.1. A legalização não vai fazer as mulheres saírem abortando indiscriminadamente. Muito pelo contrário: com atendimento nos hospitais, elas passam por uma conversa com psicóloga para saber se realmente querem abortar ou não e se estão sendo forçadas a isso pelo companheiro.

3.2. A legalização evita futuros abortos já que quando o aborto passa a ser oferecido pelo sistema de saúde pública de um país, existe uma série de orientações da Organização Mundial da Saúde para o atendimento. Uma dessas orientações é que a mulher que aborta já saia de lá com a indicação e orientação para uso adequado de um método contraceptivo, reduzindo o risco de uma nova gravidez indesejada

4. O aborto mesmo sendo ilegal sempre vai existir, mas a legalização fará com que as mulheres brasileiras possam abortar de forma segura.

4.1. Estimasse que em 2012 500mil mulheres realizaram o aborto

4.2. Somente em 2018, o governo brasileiro gastou 36 milhões de reais em curetagens (procedimento realizado para esvaziar o útero após um aborto sem sucesso), já em países onde legal, apenas 2% a 3% das mulheres precisam de intervenção medica apos o aborto

4.2.1. É estimado que 48% das mulheres que realizam o aborto clandestino sofrem complicações depois

4.3. O aborto ilegal é o 5° principal motivo para a morte materna no Brasil. Em Portugal, onde é legalizado, só aconteceram 2 mortes em decorrência do aborto, uma em 2012 e a outra em 2017

5. "É só se prevenir/Só engravida quem quer"

5.1. A educação sexual no Brasil é precária

5.2. Anticoncepcionais falham

5.3. 8 em cada 100 mulheres que tomam a pílula engravidam, por exemplo. Já com a camisinha, o número pode variar entre 2 e 15 grávidas a cada 100 que usam.

5.4. As mulheres que engravidam a partir de um estupro com certeza não queriam engravidar

6. Ninguém é a favor da realização do aborto, mas sim da legalização para que as mulheres possam realizá-lo de forma segura

7. "Faz mal às mulheres"

7.1. A taxa de mortalidade da mãe durante um aborto seguro é menor do que a taxa de mortalidade no parto

7.2. Nos Estados Unidos, a taxa de mortalidade materna em abortos entre 1998 e 2005 foi de 0,6 morte por 100.000 procedimentos abortivos, tornando o aborto cerca de 14 vezes mais seguro do que o parto, cuja taxa de mortalidade é de 8,8 mortes por 100.000 nascidos vivos.

8. "Pune quem é inocente"

8.1. A realização de um parto de uma criança indesejada pode levar a distúrbios na relação mãe-filho e má formação do vínculo materno-filial.

8.2. As consequências imediatas podem ser a síndrome de negligências pediátricas e os maus tratos contra a criança

8.3. Segundo o especialista, a situação pode levar a doenças psiquiátricas, delinquência, comportamento criminal e ao alcoolismo nos filhos de gravidez indesejada

9. "Minha religião não permite"

9.1. Justificativas com religião na maioria das vezes não são válidas

9.2. Caso a sua religião não permita o aborto, é simples, VOCÊ não vai abortar

9.3. Mas não faça com que milhares de mulheres que queiram abortar percam esse direito porque a SUA religião não permite, ninguém é obrigado a seguir a mesma religião que você

10. Fontes:

10.1. Aborto – Wikipédia, a enciclopédia livre

10.2. Aborto em Portugal – Wikipédia, a enciclopédia livre

10.3. Aborto no Brasil – Wikipédia, a enciclopédia livre

10.4. Aborto: tipos, quando é permitido por lei - Brasil Escola

10.5. Simulação mostra quais crianças são adotadas (e quais não são) no Brasil

10.6. https://azmina.com.br/sobre/apoie/

10.7. Jornal do Senado - Especial Cidadania

10.8. 6 coisas que você precisa saber antes de falar sobre aborto

10.9. https://www.semprefamilia.com.br/defesa-da-vida/10-razoes-pelas-quais-o-aborto-nunca-e-a-saida

10.10. Defesa da vida: por que o aborto não deve ser legalizado no Brasil

10.11. Por que dizemos não ao aborto? | CNBB

10.12. Você é contra ou a favor do aborto? – porque essa pergunta não faz sentido

10.13. As consequências de uma gravidez indesejada | feminal | próprio da mulher