IRRIGAÇÃO E LAVAGEM VESICAL

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
IRRIGAÇÃO E LAVAGEM VESICAL por Mind Map: IRRIGAÇÃO  E LAVAGEM                VESICAL

1. É a infusão de solução para a lavagem da mucosa que reveste a bexiga

2. INDICAÇÃO

2.1. Remover sedimentos: • pus •secreção

2.2. Coágulos

2.3. Urina em decomposição

2.4. Fins terapêuticos

2.5. Prevenção e tratamento de hemorragia da bexiga

3. MATERIAL

3.1. Bandeija

3.2. Frasco graduado

3.3. Folha de papel

3.4. 1par de luvas

3.5. Recipiente para lixo

3.6. Algodão embebido em álcool à 70%

3.7. Soro fisiológico

3.8. Seringa de 20ml

3.9. Pacote de irrigacao •Cuba rim •cupula

3.10. EPIS

4. PROCEDIMENTO

4.1. •Fazer planejamento

4.2. •Lavar as mãos

4.3. Reunir o material na bandeja, levar à unidade do paciente, colocá-lo sobre a mesa de cabeceira

4.4. Colocar o frasco graduado e a comadre sobre o papel, na cadeira

4.5. •Expor a conexão da sonda com o prolongamento

4.6. •Colocar o pacote de irrigação sobre a cama, próximo a conexão

4.7. •Proceder a desinfecção da extremidade distal da sonda vesical até a conexão com a primeira bola do algodão com álcool 70% e a proximal do prolongamento, usando a outra bola de algodão com álcool 70%;

4.8. •Abrir o pacote de irrigação com uma mão, colocando a sonda vesical e parte do prolongamento sobre a extremidade do campo estéril;

4.9. •Colocar a solução fisiológica na cúpula

4.10. •Abrir o pacote da seringa, colocando-a no campo;

4.11. •Calçar as luvas;

4.12. •Retirar a cúpula de dentro da cuba rim;

4.13. •Montar a seringa;

4.14. •Desconectar a sonda, colocando sua extremidade distal dentro da cuba rim e a extremidade do prolongamento sobre o campo estéril, atrás da cuba rim;

4.15. •Aspirar com a seringa a solução fisiológica e proceder a lavagem da sonda, injetando o soro e aspirando em seguida;

4.16. •Repetir a operação quantas vezes forem necessárias

4.17. •Conectar cuidadosamente a sonda ao prolongamento

4.18. •Transferir o líquido da cuba rim para a comadre;

4.19. •Retirar as luvas;

4.20. •Reunir o material e levá-lo coberto ao expurgo;

4.21. •Proceder as anotações de enfermagem.

5. TIPO DE SONDA

5.1. SONDA FLOLLEY 3 VIAS

5.1.1. Sonda ideal para a realização da irrigacao e lavagem

5.1.2. 1 via - drenagem da urina

5.1.3. 2 via- insufla balão

5.1.4. 3 via- irrigacao e lavagem

5.1.4.1. Matérial introduzido por essa via será eliminado com a urina

6. Privativo do Enfermeiro

7. CUIDADOS DE ENFERMAGEM

7.1. Lavar as mãos antes e depous da manipulação

7.2. Usar luvas de procedimento

7.3. Trocar equipo se necessário

7.4. Trocar solução a ser administrada

7.5. Observar se há presença de ar

7.6. Observar presença de sangue

7.7. Observar coloração, odor da urina

7.8. Anotar a quantidade de líquidos administrados e eliminados

7.9. Fazer o fechamento do BH

8. Lavagem é indicada quando ocorre obstrução da sonda, mesmo com a irrigacao

9. ANATONIA DO SISTEMA URINÁRIO

9.1. RINS

9.1.1. Produção da urina

9.2. URETERES

9.2.1. Condução até a bexiga

9.3. BEXIGA

9.3.1. Armazenamento temporário

9.3.1.1. MULHER: 300 a 500 ml

9.3.1.2. HOMEM: 600 a 800 ml

9.4. URETRA

9.4.1. Via de excreção

10. Grupo

10.1. Joanna Luviter

10.2. Laylla Vieira

10.3. Marcella Yorrana Santana

10.4. Maria Clara Gonçalves

10.5. Thais Paim

10.6. Thamires Silva

11. Enfermagem 3°semestre

12. PRÁTICA DE ENFERMAGEM III

12.1. Fábia Freire

13. UNIVERSIDADE DE SALVADOR - UNIFACS