História e Intrudução de Psicofarmacologia

Introduçaõ da Farmacologia

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
História e Intrudução de Psicofarmacologia por Mind Map: História e Intrudução de  Psicofarmacologia

1. Panorama atual:

1.1. Farmcodinâmica: Mecanismos de ação

1.1.1. Famacol. clínica: Estudo das aplicações

1.1.2. Farmacotécnicas: Formulações

1.2. Farmacognosia: Estudo na Natureza e isolamento de princípios ativos

1.2.1. Farmacocinética: Caminhos da droga no organismo

2. Farmacologia: Estudo das substâncias dotadas da capacidade de modificação ou funcionamento de um sistema.

2.1. Psicofarmacologia: Estudo dos efeitos dos fármacos sobre o afeto, cognição e comportamento.

2.2. Droga: Uma substância que, quando administrada a um organismo vivo, produz um efeito biológico.

2.2.1. Remédio: Recurso utilizado para aliviar o sofrimento ou melhorar a qualidade de vida.

2.3. Fármaco: É a substância química que é o princípio ativo do medicamento. Estrutura e propriedades conhecidas.

2.3.1. Medicamento: É um produto elaborado compotso de fórmula e geralmente não contém somente o fármaco. Composto de forma e destinada a uma via de administração. Destinado ao uso terapêutico.

2.4. Prófármaco: Substância "inerte", que se torna ativa após o metabolismo.

2.4.1. Interação medicamentosa: Refere­-se a interferência de um fármaco na ação de outro ou de um alimento/nutriente na ação de medicamentos.

2.5. Dose: É um quantum de um medicamento que não administrou nenhum organismo produz um efeito terapêutico.

2.5.1. Dosagem: Inclui além da dose, frequência de administração e duração do tratamento

3. Tratamento Farmacológico: Tem como objetivo atingir a droga (tecido alvo ) que é usado para produzir o efeito pretendido, sem produzir danos adversos.

4. Processo Farmacoterapêutico: Processo Farmacêutico, Processo Parmacocinético Processo Farmacodinâmico, Processo Faramacoterapêutico.

4.1. Processo farmacêutico: Relacionado as características da formulação. Forma farmacêutica: Forma na qual o medicamento encontra-­se disposto para uso imediato.

4.2. Índice terapêutico = LD50 (dose letal para 50% da população) DE50 (dose eficaz em 50% dos pacientes). Indica margem de segurança no uso de um fármaco.

4.2.1. Vias de administração: Via oral, intravenosa, intramuscular, subcultânea, entre outras.

4.3. Caminhos do medicamento: Os medicamentos quando estão no nosso organismo sofrem quatro formas de ação: absorção, distribuição, metabolização e excreção. É necessário que o medicamento passe por um desses estágios para que cause efeito, pois, é a partir da ação que o corpo comece a realizar uma resposta.

4.3.1. Escolha a forma farmacêutica: Solubilidade e concentração do fármaco, vias de administração, diferentes locais de aplicação e absorção, velocidade (tempo) de ação, tipo de paciente.

4.3.2. Velocidade de dissolução: Solução aquosa, (suspensão), pó (cápsula), comprimidos (drágeas).

5. Farmacodinâmica: Os medicamentos específicos devem ser associados a estruturas do organismo para desencadear ou efeito, quais são as principais variáveis ​​de ação ou alvo farmacológico. Os principais tipos são:

5.1. Receptores ­Canais iônicos Enzimas ­Proteínas de transporte

5.1.1. Agonista: mesma ação biológica. Antagonista: efeito oposto.

5.1.2. ­ Afinidade: grau de atração ­ Atividade intrínseca (eficácia): capacidade de produzir resposta biológica uma vez ligado ao receptor.

5.2. Conceitos relacionados aos tipos de ação:

5.2.1. ­ Interação com receptor ­ Seletividade: “específico” de um receptor.

6. Agonistas: Estímulo a liberação Ligação ao receptor Inibição de recaptação Inibição de desativação Promoção da amostra.

6.1. Antagonistas: Bloqueio do receptor Bloqueio do receptor

6.2. Efeito Clínico: Velocidade de início da ação: Via de administração, dissolução, integração com o meio. Características físicas de drogas

6.3. Intensidade da interação droga–receptor: • Tempo de ação: • Eliminação: Biotransformação e excreção

7. Implicações: Consequências resultados insatisfatórios, progresso da doença, menor qualidade de vida. Como resolver? Segmento Com diálogo, prescrição adequada, orientação e farmacoterapêutico.