Níveis de atenção à saúde

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Níveis de atenção à saúde por Mind Map: Níveis de atenção à saúde

1. 01- Compreender os níveis de atenção à saúde

1.1. Os níveis de atenção à saúde possuem uma organização fundamental para tornar a triagem do Sistema Único de Saúde (SUS) mais eficiente.

1.2. Para uma gestão organizacional eficiente é fundamental que os gestores hospitalares se atentem às recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS). A OMS define 3 diferentes níveis de atenção à saúde: o primário, o secundário e o terciário.

1.3. APS= Atençaõ primária à saúde

1.4. O setor primário orienta pelos princípios da universalidade, da acessibilidade, da continuidade do cuidado, da integralidade da atenção, da responsabilização, da humanização e da equidade

1.5. Programas, ações e estratégias estão atreladas ao setor primário, que buscam alternativas para melhorar a condição de vida das comunidades. Estão incluídos os programas Saúde na Hora, Médicos pelo Brasil, Conecte SUS, Previne Brasil

1.6. Setor primário busca resolver um maior contingente da saúde da população

1.7. Atenção primaria se divide em quatro atributos principais, sendo eles: acessibilidade, longitudinalidade(vínculo com a comunidade), integralidade, coordenação

1.8. Atenção primária possui equipe multidisciplinar na qual está presente uma médico (clínico geral),enfermeiro, odontólogo, técnicos e agentes comunitários de saúde (ACS).

1.9. Esse trabalho é realizado nas Unidades de Saúde da Família (USF), nas Unidades de Saúde Fluviais, nas Unidades Odontológicas Móveis (UOM) e nas Academias de Saúde.

1.10. c

1.11. O número de agentes nas UBS deve ser suficiente para atender 100% da comunidade

1.12. Há uma demanda grande pela atenção básica, uma vez que é a porta de entrada da saúde

1.13. Atualmente, a principal estratégia de configuração da ABS no Brasil é a saúde da família que tem recebido importantes incentivos financeiros visando à ampliação da cobertura populacional e à reorganização da atenção.

1.14. A atenção primaria: devem garantir a realização de exames básicos (hemograma, citopatológico, etc.) e consultas de rotina, contando com a presença de profissionais generalistas na equipe.

1.15. O governo oferece uma plataforma online que disponibiliza as informações acerca da atenção primária

1.16. Nível secundário

1.16.1. Nesse nível surge um maior gradiente de especialização

1.16.2. Caracteriza-se majoritariamente pelas UPAs (Unidades de pronto atendimento). Tem uma estrutura mais simples que os hospitais. Neste momento, surgem os especialistas, como cardiologistas, oftalmologistas, endocrinologistas e etc.

1.16.3. Além do investimento em equipamentos modernos, os gestores devem estar atentos ao uso da tecnologia. os equipamentos e a infraestrutura são compatíveis com a demanda

1.16.4. Média densidade tecnológica

1.16.5. As UPAs possuem diferentes portes que possuem capacidades especificas e gradativas de atendimento

1.16.6. RAS faz parte da abordagem do nível secundário assim como o SAMU

1.16.7. UPA Porte I: tem de 5 a 8 leitos de observação. Capacidade de atender até 150 pacientes por dia. População na área de abrangência de 50 mil a 100 mil habitantes. UPA Porte II: 9 a 12 leitos de observação. Capacidade de atender até 300 pacientes por dia. População na área de abrangência de 100 mil a 200 mil habitantes. UPA Porte III: 13 a 20 leitos de observação. Capacidade de atender até 450 pacientes por dia. População na área de abrangência de 200 mil a 300 mil habitantes.

1.17. Nível terciário

1.17.1. Os grandes hospitais correspondem ao nível terciário. O objetivo deste estágio é garantir que procedimentos para a manutenção dos sinais vitais do paciente sejam priorizados.

1.17.2. Tecnologia como principal aliada

1.17.3. 1) Porte do hospital: Pequeno porte: É o hospital que possui capacidade normal ou de operação de até 50 leitos. Médio porte: É o hospital que possui capacidade normal ou de operação de 51 a 150 leitos. Grande porte: É o hospital que possui capacidade normal ou de operação de 151 a 500 leitos. Acima de 500 leitos considera-se hospital de capacidade extra. 2) Perfil assistencial dos estabelecimentos: Hospital de clínicas básicas, hospital geral, hospital especializado, hospital de urgência, hospit

1.17.4. Trata-se de cirurgias e de exames mais invasivos, que exigem a mais avançada tecnologia em saúde.

1.17.5. Atenção, promoção e recuperação da saúde

1.18. Nível dos Hospitais em Aracaju: HUSE (Nível Terciário), Maternidade Santa Isabel, Maternidade Nossa Senhora (Nível terciário) de Lourdes (terciário)

2. 02- Arrolar acerca do fluxo de referência e contrarreferência

2.1. Dentro de um mesmo nível, podem haver fluxo de referência e contrarreformaria

2.2. O Sistema de Referência e Contrarreferência caracteriza-se por uma tentativa de organizar os serviços de forma a possibilitar o acesso pelas pessoas que procuram os serviços de saúde.

2.3. Dessa maneira, a rede de referência e contrarreferência é um sistema que se desenvolve em quatro componentes que funcionam de maneira integrada, (1) sendo a APS que coordena a rede, que vincula a população; (2) atenção secundária, os ambulatórios especializados e os hospitais de média e alta complexidade; (3) os sistemas logísticos, regulação, transporte sanitário, registro eletrônico em saúde; (4) e os de apoio, assistência farmacêutica, apoio diagnóstico terapêutico.9

2.4. Um sistema ineficiente (ou inexistente) de contra referência prejudica o seguimento do indivíduo em suas diferentes patologias, impede a correlação entre patologias de diferentes áreas da medicina e da saúde como um todo, dificulta a avaliação longitudinal do paciente e prejudica até mesmo a adesão correta do indivíduo ao seu tratamento. Aumenta os gastos na saúde, pois cria encaminhamentos desnecessários, repetição de tratamentos já realizados, entre outros.

2.5. ligados às questões de acessibilidade, universalidade e integralidade da assistência

3. 04-Discorrer acerca das funções do NUCAAR

3.1. Tem como principal função estabelecer parâmetros da necessidade de atendimento

3.2. Nucaar- Núcleo de Controle Auditoria Avaliação e Regulação é um estabelecimento de saúde tipo Central de Regulação do Acesso que executa serviços de saúde na localidade do bairro da cidade Aracaju-SE.

3.3. regulação das vagas disponíveis para consultas, exames, internações e demais procedimentos é uma importante ferramenta de gestão em Saúde Pública. garante não só o cumprimento das leis de atenção aos cidadãos, como também controla a qualidade dos serviços, impedindo fraudes e estabelecendo padrões mínimos de atendimento.

3.4. Foi o NUCAAR que começou a idealizar a arquitetura do modelo de atenção especializada

3.5. A regulação atende em 3 eixos: na Central de atendimento, diretamente com o usuário; nas unidades básicas de saúde e também via internet

3.6. A tabela SUS não é atualizada e leva a espaços orçamentários que promovem dificuldades na gestão da verba, uma vez que os preços dos exames oscilam.

3.7. processamento das informações, solicitações de exames, execução do prestador, inclusão de dados no sistema de informações, consolidação dos dados e envio para o pagamento do prestador entre outros procedimentos.

4. 05-Distinguir a funcionalidade do Resgate e SAMU

4.1. Quando chamar o SAMU 192: Na ocorrência de problemas cardio-respiratórios; Em casos de Intoxicação exógena;Em caso de queimaduras graves; Na ocorrência de maus tratos; Em trabalhos de parto onde haja risco de morte da mãe ou do feto;Em casos de tentativas de suicídio; Em crises hipertensivas; Quando houver acidentes/traumas com vítimas; Em casos de afogamentos; Em casos de choque elétrico;Em acidentes com produtos perigosos

4.1.1. Envio de médicos conforme a necessidade do caso

4.1.2. Quando é feita a ligação, o técnico passa a ligação para um médico avaliador

4.1.3. Além das ambulâncias, o SAMU também conta com UTIs móveis, motos, lanchas e helicópteros para atendimentos. Também fazem parte da frota veículos de transportes equipados para suporte básico, para casos simples e intervenções rápidas

4.1.4. A prioridade é prestar o atendimento à vítima no menor tempo possível, inclusive com o envio de médicos conforme a gravidade do caso. As unidades móveis podem ser ambulâncias, motolâncias, ambulanchas ou aeromédicos

4.2. Resgate:

4.2.1. Combate a incêndios (urbano, florestal, especial)

4.2.2. Busca e salvamento

4.2.3. Atendimento pré-hospitalar (envolvendo traumas e emergências

4.2.4. Acidentes com pessoas presas em ferragens. Fazem os primeiros socorros, e o SAMU, faz o atendimento médico específico

4.2.5. Serviços Técnicos: Estão relacionados a vistorias de edificações comerciais, concentração de público e multifamiliares

5. 03-Conhecer o funcionamento do Cemar

5.1. Aracaju possui duas unidades. No Augusto franco e Siqueira Campos

5.2. Prestar serviços especializados de assistência à saúde visando à integralidade de atenção, tendo como finalidade a assistência ambulatorial especializada e o desenvolvimento de ações de prevenção através de programas de atenção especializada

5.3. Prestar atendimento multiprofissional especializado a pacientes com tuberculose, crianças com diagnóstico de asma e tabagismo.

5.4. Oferece consultas, exames e atende também a comunidade do interior do estado

5.5. sobre a marcação: Os médicos das unidades básicas de saúde é que identificam quais pacientes necessitam dos serviços especializados da Cemar. Em caso de indicação, o paciente realiza a marcação da sua consulta no próprio posto de saúde em que foi inicialmente atendido, apresentando a sua carteira do SUS e um documento de identificação.

5.6. O cear do Siqueira Campos tem ampla assistência no setor pediátrico

5.7. CEMAR Augusto Franco: Glaucoma, que apenas exige um relatório médico atestando a enfermidade ocular.

6. 06-Diferenciar Urgência e Emergência

6.1. Emergência é quando há uma situação crítica ou algo iminente, com ocorrência de perigo; incidente; imprevisto. No âmbito da medicina, é a circunstância que exige uma cirurgia ou intervenção médica de imediato.

6.2. Urgência é quando há uma situação que não pode ser adiada, que deve ser resolvida rapidamente, pois se houver demora, corre-se o risco até mesmo de morte.

6.3. Protocolo de Manchester: Há utilização de um gradiente de cores nas Urgências para distinguir os níveis da necessidade iminente de atendimento

6.4. São definidas como processos que vão se originar de pontos diferentes de gravidade