Psicologia

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Psicologia por Mind Map: Psicologia

1. “Os alunos motivados demonstram comportamentos e pensamentos que optimizam a aprendizagem e o desempenho, tais como tomar iniciativa, enfrentar o desafio ou utilizar estratégias de resolução de problemas. Exprimem também afectos positivos face à aprendizagem, como entusiasmo, curiosidade e interesse. A persistência, o empenho e os objetivos traçados, são frutos das expectativas de desempenho que os alunos possuem em função da auto-avaliação que fazem das suas capacidades, ou seja, da consciência que têm da sua auto-eficácia, da importância que atribuem a aprendizagem, “Um bom rendimento escolar parece estar associado a formas de auto-regulação mais autônomas (identificada) e à motivação intrínseca, ou seja, à interiorização dos valores associados ao trabalho escolar estes resultados sugerem, por um lado, que os estudantes mais intrinsecamente motivados estando mais empenhados obtêm melhores resultados escolares e, por outro lado, que as próprias experiências de sucesso contribuem para a manutenção nos estudantes do prazer intrínseco na realização das actividades escolares e para a sua valorização.” As escolas podem favorecer o progresso da aprendizagem, quando valorizam as competências dos alunos, quando levam-nos a acreditar que são os responsáveis pelos seus desempenhos, quando estabelecem metas realistas, valorizam os seus progressos em direção a essas metas, incentivam a construção de significados pessoais, promovem a auto-avaliação e um investimento estratégico do esforço. possível afirmar que as qualitativas são preferíveis às quantitativas. As primeiras tendem a derivar em uma abordagem “profunda” ou produto de aprendizagem superior, por isso são objetivos de intervenção a atingir, na linha das mudanças das crenças dos estudantes sobre as suas aprendizagens. Os métodos de estudos se relacionam com os hábitos e estratégias utilizadas pelos alunos no processo de aprendizagem. Acontece que certos procedimentos pessoais podem e devem ser ensinados com vistas a tornar os resultados acadêmicos mais alargados, mas sempre de forma flexível. A metacognição é uma dimensão importantíssima, envolve o conhecimento sobre os processos e produtos cognitivos, como a atenção, a memória e a consciência, assim como, o conhecimento sobre as situações da aprendizagem. As variáveis volitivas se referem à escolha e nível de empenho utilizado para executar uma tarefa.

1.1. Conclusão

1.1.1. A constituição da auto-regulação enquanto campo de conhecimentos se faz através de um processo de agregação de tradições disciplinares diferentes. Em muitos casos, ainda não foi possível fertilizar mutuamente os objetivos, na tentativa de interpretar o fenômeno da aprendizagem na sua complexidade. A fim de que os diversos estudos dessa área se integram, é necessário que as fronteiras sejam desfeitas. Essa possibilidade aumentaria a compreensão e o enriquecimento das distintas abordagens. democráticas e de relações institucionais favorecedoras. Para que se possa provocar transformações nesse sentido, é preciso que os professores se armem através de um conjunto de práticas que se baseiem, não tanto em seus sentimentos e crenças, mas fundamentalmente num estudo sistematizado acerca do construto da auto- regulação da aprendizagem e das implicações enriquecedoras que ele trás. Uma série de pesquisas nessa área já têm sido desenvolvidas e se constituem em fontes preciosas de conhecimentos. Espera-se que esse estudo tenha sido de alguma valia para quem se interessa pelo assunto e principalmente para quem deseja melhorar a atividade educativa.

2. Introdução

2.1. São os conhecimentos das pessoas para perceber que são capazes de realizar relativamente suas próprias cognição, e também não basta aprender os assuntos curriculares , mas também fazer umas escolhas que levam as críticas tem que estar pronto para as novos poder agir com seus próprios meios, e também saber lidar com as informações. Decorar é um componente indissociável no processo da ensino- aprendizagem Nisso uns dos aspectos em si é privilegiar a transferência do nossos conhecimentos, ou da possibilidade dos alunos utilizar O próprio conhecimento adquirido na escola

2.1.1. Desenvolvimento

2.1.1.1. Aprendizagem acadêmica é fundamental para a integração social e também para o desenvolvimento das pessoas. De acordo com isso, cabe promover habilidades aos conteúdos curriculares, que ensinam os alunos a gerirem suas aprendizagens. O professor tradicional: A função é oferecer ou proporcionar conhecimentos, elaborados para a sua incorporação ou assimilação na memórias dos aprendizes. "Exige-se uma nova forma de entender a escola se traduzida na necessidade de desenhar novos currículos que sirvam não só para aprender, mas também para continuar a aprender". Não se trata de negar o professor que mantém a postura tradicional relativamente ao ensino. O que se espera é uma capacidade de se assumir diferentes papéis, de modo a estar apto para fazer com que o estudante construam sua própria aprendizagem. A aprendizagem deve, acima de tudo, significar construção de destrezas cognitivas e conhecimento, significando a apropriação de mecanismo de busca e seleção de informação, assim como processo de análise e resolução de problemas, que viabilizem a autonomia progressiva do aluno no aprender e no realizar, os quais se prolongam a vida inteira

2.1.1.2. Fase na ação do estudante auto - regulado

2.1.1.2.1. As teorias da auto-regulação da aprendizagem referem que a ação auto-regulada se desenvolve em fases. A primeira, chamada de antecipação e preparação diz respeito ao estabelecimento dos objetivos pedagógicos e a escolha de um plano estratégico, ou seja, como o nome sugere, nessa fase, o aluno escolhe o quê vai fazer e qual a meta que pretende atingir. Essa fase é influenciada pelos construtos motivacionais, os objetivos de realização, a auto-eficácia e a valorização da aprendizagem. Existe a necessidade do aluno se apropriar dos objetivos, valorizando-os e estabelecendo-os como seus, ainda que a construção dos mesmos não seja acompanhada exclusivamente pelo prazer, mas fundamentalmente pela necessidade, com vistas a alcançar um projeto maior. O aluno deve persistir numa tarefa, tanto quanto acredite que ela é importante e necessária para a sua aprendizagem, e caso desista, que seja capaz de refletir sobre os condicionamentos e especificidades de tal ato, ou seja, que ganhos poderá ter conseguido, bem como, as perdas, caso considere que existam. Um aspecto importantíssimo é a necessidade O aluno deve persistir numa tarefa, tanto quanto acredite que ela é importante e necessária para a sua aprendizagem, e caso desista, que seja capaz de refletir sobre os condicionamentos e especificidades de tal ato, ou seja, que ganhos poderá ter conseguido, bem como, as perdas, caso considere que existam. Um aspecto importantíssimo é a necessidade O aluno deve persistir numa tarefa, tanto quanto acredite que ela é importante e necessária para a sua aprendizagem, e caso desista, que seja capaz de refletir sobre os condicionamentos e especificidades de tal ato, ou seja, que ganhos poderá ter conseguido, bem como, as perdas, caso considere que existam. Um aspecto importantíssimo é a necessidade