Análise de Conteúdo

teste

Iniziamo. È gratuito!
o registrati con il tuo indirizzo email
Análise de Conteúdo da Mind Map: Análise de Conteúdo

1. Análises qualitativas ganham notoriedade nas pesquisas na área administrativa

1.1. Devido o aumento do uso da abordagem qualitativa nas novas pesquisas

1.2. Uso da conhecida técnica de Análise de Conteúdo de Bardin (1977)

1.2.1. Transita entre dois polos:

1.2.1.1. O rigor da objetividade

1.2.1.2. A fecundidade da subjetividade

1.2.2. Pode ser conceituada segundo:

1.2.2.1. Vertente teórica

1.2.2.2. Intencionalidade do pesquisador

1.2.3. É o conjunto de instrumentos metodológicos que se prestam a analisar diferentes fontes de conteúdo

1.2.4. Estudo de natureza descritiva

2. Passa por diversas etapas, a fim de que se possa conferir significação aos dados coletados

2.1. Pré-análise

2.1.1. Essa fase compreende: a leitura flutuante, a escolha dos documentos, a formulação de hipóteses e objetivos e elaboração dos indicadores

2.1.1.1. Deve seguir as regras de Bardin

2.1.1.1.1. A exaustividade: não deixar de fora da pesquisa qualquer um dos elementos

2.1.1.1.2. A representatividade: amostra tem uma parte representativa do universo inicial

2.1.1.1.3. A homogeneidade: os documentos retidos devem ser homogêneos

2.1.1.1.4. A pertinência: fonte documental corresponde ao objetivo suscitado pela análise

2.1.2. Compreende a leitura geral do material a ser investigado, efetua-se a organização dele.

2.2. Exploração do Material

2.2.1. Consiste na construção das operações de codificação

2.2.2. Consiste na definição de regras de contagem e a classificação e as agregações de informações em categorias

2.3. Tratamento dos resultados, inferência e interpretação

2.3.1. Consiste em captar os conteúdos manifestos e latentes contidos em todo o material

2.3.1.1. A análise comparativa

3. Artigo baseado na pesquisa de mestrado acerca da relação entre valores e rituais organizacionais em empresas familiares

3.1. Coleta de dados: técnica de entrevista semiestruturada e uso de documentos institucionais, além da observação direta

3.2. Uso da análise categorial: melhor opção para o estudo de valores, opiniões e crenças

3.2.1. Análise respaldada pelas observações in loco

3.2.2. A codificação inicial foi feita em função da repetição de palavras, constituindo unidades de registro

3.2.2.1. Foram feitas categorias iniciais, intermediárias e finais. Todas derivadas de uma construção progressiva do pesquisador

3.2.2.2. A partir da suas temáticas e conceitos norteadores

4. Caracteriza-se como um método específico, que parece mais claro e factível

4.1. Em função da elaboração esquemática que o sustenta passo a passo

4.2. Torna a elaboração mais rigorosa e menos ambígua