FARMACOCINÉTICA

Síntese farmacocinética

Lancez-Vous. C'est gratuit
ou s'inscrire avec votre adresse e-mail
FARMACOCINÉTICA par Mind Map: FARMACOCINÉTICA

1. Volume de plasma que contém a quantidade da substância que é removida pelo rim por unidade de tempo

1.1. CL= concentração urinária x volume do fluxo urinário/Concentração Plasmática

2. Dois tipos gerais de reações metabólicas ocorrem:

3. O que o CORPO faz com a DROGA

4. DISTRIBUIÇÃO

5. ABSORÇÃO

6. METABOLISMO/BIOTRANSFORMAÇÃO

7. ELIMINAÇÃO/EXCREÇÃO

8. transferência do fármaco do local de administração para a circulação geral

9. Fatores: que determinam a absorção

10. Caracteristicas do fármaco

10.1. Peso molecular (apresentação farmacêutica) Solubilidade Grau de ionização (pH) Lipossolubilidade Ligação às proteinas Gradiente de concentração

11. Características do organismo

11.1. Superfície de absorção Vascularização local Permeabilidade capilar Gradiente de pH Vias de administração

12. Difusão passiva

13. Difusão através de canal aquoso

13.1. Tamanho dos poros – 0,4 nm; Tamanho dos fármacos – 1 nm Relativamente permeável a H2O

14. Difusão mediada por transportadores

15. pinocitose

16. Transporte vesicular de líquidos (insulina - BHE)

17. É o mecanismo mais importante dos processos de absorção

17.1. Substâncias lipossolúveis mais rápida e completa; A favor do gradiente de concentração; Entre as moléculas - forma independente e sem competição; Ocorre até que o equilíbrio das concentrações seja alcançado; Não saturável;

18. Transporte ativo

18.1. Com gasto energético; Contra o gradiente de equilíbrio; Processo saturável; Inibição competitiva.

19. Difusão facilitada

19.1. Sem gasto energético; •A favor do gradiente de equilíbrio; • Processo saturável. Glicose e aminoácidos

20. a transferência do fármaco da circulação geral (absorção) para diferentes órgãos do corpo (local de ação)

21. Fatores que influenciam a distribuição

21.1. Irrigação dos tecidos permeabilidade capilar natureza da droga ligação às proteínas plasmáticas lipossolubilidade volume de distribuição Compartimentos de armazenamento

22. Processo de alteração química da droga no organismo.

23. Órgãos metabolizadores de drogas: • Fígado (principal) • Rins • Pulmões • Supra-Renais

24. Os fármacos sofrem biotransformação em formas menos ativas e mais ionizadas (hidrossolúveis), mas também podem ser formados metabólitos mais ativos ou de mesma atividade

25. Um fármaco percursor inativo que forma metabólitos ativos é denominado PRÓ-DROGA

26. O fígado é o principal local devido sua localização estratégica na circulação portal e suas várias enzimas metabólicas

27. REAÇÃO DE FASE 1 envolve tipicamente modificações por oxidação, redução ou hidrólise

28. REAÇÃO DE FASE 2 uma substancia endógena se liga covalentemente (conjugação com glicose ou glicuronidação sendo as mais comuns)

29. O retículo endoplasmático liso (REL) das células de muitos órgãos, principalmente o FÍGADO, contém enzimas associadas à membrana, que são responsáveis pela oxidação dos fármacos

30. Sistema enzimático microssomal

30.1. Citocromo P-450 e citocromo P-450 redutase É denominada oxigenase de função mista Um átomo de oxigênio é incorporado ao fármaco na forma de –OH, enquanto o outro incorpora a água Existem várias enzimas distintas do citocromo P-450 no interior da membrana microssomal

30.2. Proteínas do heme, superfamília, 74 famílias de genes CYP Metabolismo hepático humano de substâncias: CYP1,CYP2 e CYP3 Polimorfismos genéticos Fatores ambientais: indutores e inibidores enzimáticos (dieta e ambiente) Inibição farmacológica: quinidina e cetoconazol Indução farmacológica: fenobarbital e alcóol etílico Metaboliza ácidos graxos exógenos e esteróides

31. Microssomos

32. Qual a importância do CYP450?

32.1. 1. Representa o principal mecanismo para metabolização das drogas ativas endógenas e xenobióticas 2. Representa uma importante fonte de variabilidade inter-individual no metabolismo de drogas 3. Explica os efeitos tóxicos de alguns fármacos 4. Explica os efeitos decorrentes da interação entre várias drogas.

33. Indução do sistema CYP

34. Inibição do sistema CYP

35. Barbitúricos Fenitoína Hidrocarbonetos policícliclos aromáticos (Bezopireno) Hidrocarbonetos halogenados (DDT) Nicotina Etanol (ingestão crônica)

36. Inseticidas organofosforados Tetracloreto de carbono Ozônio Monóxido de carbono Cimetidina Omeprazol

37. Fatores que interferem no metabolismo

38. Polimorfismo genético Propriedades químicas dos fármacos Variação biológica Vias de administração Dieta Idade Posologia Doenças Ritmo circadiano

39. processo pelo qual um fármaco ou metabólito é eliminado do organismo

40. O rim é o mais importante órgão de excreção

41. O trato biliar e as fezes constituem importantes vias de excreção de alguns fármacos que são metabolizados pelo fígado

42. Também podem ser excretados no ar expirado, suor, saliva, lágrimas e leite

43. Excreção através da urina:

44. Filtração glomerular:

44.1. os compostos hidrossolúveis e polares são incapazes de sofrer difusão retrógrada da circulação e são excretados, a não ser que exista algum transporte específico para sua reabsorção

45. Secreção tubular ativa

45.1. túbulo proximal (80%)

46. Difusão através do túbulo renal

46.1. À medida que o filtrado atravessa o túbulo, a água é reabsorvida, sendo o volume de urina que emerge cerca de 1% do filtrado Se o túbulo for permeável a droga, a concentração da droga no filtrado irá permanecer próxima daquela no plasma, e cerca de 99% da droga serão reabsorvidas passivamente. Fármacos altamente lipossolúveis apresentam elevada permeabilidade tubular e são lentamente excretados. Fármacos polares o filtrado irá permanecer no túbulo e sua concentração aumentará até ficar cerca de 100 vezes mais alta na urina do que no plasma

47. Clearance (depuração) renal

48. pH urinário Ligação a proteínas plasmáticas Fluxo sanguíneo renal

49. meia-vida t1/2

49.1. A eliminação ocorre em um período de tempo que varia entre 4-6 meias-vidas da droga

50. o tempo que determinada concentração da droga leva para reduzir-se a sua metade

51. Importancia:

52. Interpretação dos efeitos terapêuticos ou tóxicos das drogas Duração do efeito farmacológico Regime posológico adequado

53. Quanto mais curta a meia-vida mais rápido se alcança a concentração máxima constante

54. Quanto mais curta a meia-vida, mais flutuará a concentração plasmática entre as doses. Isto leva ao emprego de preparações de liberação prolongada ou retardada a fim de se evitarem as grandes variações da concentração plasmática da droga

55. Quando a meia-vida é prolongada acima do valor normal, (digitálicos e gentamicina) na presença de insuficiência renal, o tempo é maior para se alcançar a concentração plasmática máxima constante. Isto pode levar a concentrações sanguíneas muito mais elevadas que as normais, podendo atingir níveis tóxicos. A dose, nesses casos, deve ser diminuída ou os intervalos entre as doses prolongados

56. Estado de ionização (influencia do pH)

57. A maioria dos fármacos são ácidos fracos ou bases fracas

57.1. Forma não-ionizada – mais lipossolúvel Ionizada – polares – menos lipossolúvel

58. PKa de uma droga é o pH onde ela se encontra 50% na forma ionizada e 50 % na forma não-ionizada

59. Drogas ácidas são melhores absorvidas em meios ácidos

60. Drogas básicas são melhores absorvidas em meios básicos

61. Vias de asministração

61.1. Escolha determinada por: Tipo de ação desejada Rapidez de ação desejada Natureza do medicamento

62. Vias enterais

62.1. oral subdlingual retal

63. vias parentais

63.1. intravenosa intramuscular intradermica subcutanea dermica

64. Via inalatória

65. Via tópica

65.1. ação cutanea mucosas olho

66. via oral

67. Metabolismo de primeira passagem

68. biodisponibilidade

69. Quando o fármaco é administrado via oral e é absorvido pelo intestino não cai diretamente na circulação sistêmica e sim na circulação porta-hepática, sendo levado ao fígado onde pode ser metabolizado antes que a absorção seja completada afetando o efeito do fármaco, pois ele pode ser inativado.

70. Fração do fármaco não alterada que atinge seu local de ação, após a sua absorção

71. Volume de distribuição= volume de líquido necessário para conter a quantidade total da droga no corpo (Q), na mesma concentração presente no plasma (Cp)

71.1. Vd = Q/Cp