era o dito, de Marcelino Freire

Plan your website and create the next important tasks for get your project rolling

Get Started. It's Free
or sign up with your email address
era o dito, de Marcelino Freire by Mind Map: era o dito, de Marcelino Freire

1. Quem casa quer casa

1.1. Quem casa quer cama

1.2. constatação de um desejo

1.3. quem casa deseja praticar muito sexo (cama), ter liberdade para praticá-lo, mais do que ter uma casa ou lugar para morar.

2. Homem com H

2.1. Homem com HIV

2.2. constatação da presença de um homem

2.3. o homem macho contraiu o vírus HIV, o vírus da Aids, em decorrência de sua virilidade masculina tão ostentada na sua orientação e comportamento sexual, com H maiúsculo.

3. Cada louco tem sua loucura

3.1. Cada louco tem sua causa

3.2. loucos possuem algo

3.3. cada loucura tem uma razão de ser, uma explicação, justificativa e origem. Marcelino Freire prioriza o agente causador da loucura ou o que move o louco, sem se importar com o tipo de loucura que possa acometer uma pessoa ou o fato de ser louco.

4. Penso, logo existo ou Cogito, ergo sum

4.1. Pratico sexo, logo existo ou Pratico coito (cogito), ergo sum

4.2. verifica-se a existência do ser humano associada a uma prática

4.3. a existência do ser humano vincula-se ao sexo ou coito, e não à sua capacidade de pensar, como postulou o filósofo e matemático francês René Descartes, em 1637, em seu “Discurso do Método”, traduzido posteriormente para o latim.

5. Deus é brasileiro

5.1. Deus é U.S.A

5.2. Deus tem nacionalidade

5.3. Deus é Estados Unidos da América, está do lado deles, protege-os, favorece a maior potência mundial do século XX e XXI, e não o Brasil.

6. O amor é cego

6.1. O amor é morcego

6.2. o amor tem atributo

6.3. o amor, uma vez associado ao morcego, relaciona-se intimamente aos vampiros, simbolizando morte e doença. Ao contrário do que muitos pensam, morcegos possuem uma boa visão, o que contraria a ideia de cegueira.

7. É dando que se recebe”

7.1. Dane-se o “é dando que se recebe”

7.2. uma ação implica outra ação

7.3. percebe-se uma irritação com a ideia de que para receber é preciso primeiro dar, revelando uma noção de que essa regra não é necessária ou tampouco infalível.

8. https://youtu.be/Gy3Qn_RezWk

9. NOTAS

9.1. Prêmio Design ICOSAEDRO O Prêmio Design ICOSAEDRO, principal e mais antiga premiação de design do país, deu início à primeira fase de sua 31ª edição com o Concurso do Icosaedro de Poesia Concreta. Com 17 inscrições, o trabalho vencedor tem autoria da designer gráfica Gisa Gasparotto, da Mater Design de Bariri (SP), que apresentou um icosaedro com expressões populares do poeta Marcelino Freire:

9.2. 1. O amor é cego : MORCEGO 2. Deus é brasileiro: USA 3. É dando que se recebe: DANE-SE 4. Homem com H: HIV 5. Quem casa quer: CAMA 6. Cada louco tem sua: CAUSA

9.3. As 6 instalações inspirarão toda a identidade visual do 31º Prêmio Design ICOSAEDRO, realizado pelo Museu da Casa Brasileira, instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo. Os icosaedros foram avaliados pela comissão julgadora coordenada pela designer gráfica Izabel Meister e os integrantes Paula Carolei, Luciano Gamez e Marcelo Guimarães. Além do vencedor, o júri também conferiu menção honrosa a dois trabalhos e selecionou outros cinco icosaedros para serem exibidos no Museu na exposição do 31º Prêmio Design MCB, com abertura dia 11 de novembro.

9.4. Foram recebidos icosaedros de 14 estados do país. A participação se dividiu entre designers (2 inscritos), arquitetos (2), publicitários e diretores de arte (4), artistas (2), fotógrafos (2) e estudantes – 5 inscritos de mais de 15 instituições de ensino do país. O vencedor desta edição receberá como prêmio o valor bruto de R$ 5 mil e terá um contrato de mais R$ 5 mil para a criação de outras peças gráficas da edição. Ele também receberá a assinatura de um ano da revista COSA, parceira da abertura da Mostra do Concurso do ICOSAEDRO.

10. Gisa Sentimos falta no mapa dos links para as fases do icosaedro, registro de todo o processo. Sem as etapas, apenas com o icosaedro final temos dificuldade em entender o percurso. A apropriação do “prêmio” foi uma maneira bem interessante de trabalhar, trouxe um ritmo inusitado ao projeto. Izabel e Luciana