TRANSDISCIPLINARIDADE (Iribarry, 2003)

Get Started. It's Free
or sign up with your email address
Rocket clouds
TRANSDISCIPLINARIDADE (Iribarry, 2003) by Mind Map: TRANSDISCIPLINARIDADE (Iribarry, 2003)

1. DISCIPLINA

1.1. Disciplina - mesmo sentido que ciência. Disciplinaridade - exploração científica e especializada.

1.2. NÍVEIS DE RELAÇÕES (Japiassu, 1979)

1.2.1. MULTIDISCIPLINARIDADE

1.2.1.1. disciplinas propostas simultaneamente, sem cooperação/articulação

1.2.1.2. sistema de um só nível e de objetivos múltiplos

1.2.1.3. tem relação e não articulação

1.2.1.3.1. ex. Hospital

1.2.2. PLURIDISCIPLINARIDADE

1.2.2.1. justaposição de disciplinas

1.2.2.2. mesmo nível hierárquico e cooperação, mas sem coordenação. Ex. encaminhamentos

1.2.2.3. sistema de um só nível e de objetivos múltiplos

1.2.3. INTERDISCIPLINARIDADE

1.2.3.1. disciplinas conexas e hierarquia com coordenação de nível superior

1.2.3.1.1. coordenação - profissionais com experiência

1.2.3.2. sistema de dois níveis e de objetivos múltiplos

1.2.4. TRANSDISCIPLINARIDADE

1.2.4.1. coordenação de todas as disciplinas e interdisciplinas em um sistema de ensino inovado.

1.2.4.1.1. A coordenação propõe uma finalidade comum dos sistemas.

1.2.4.2. sistema de níveis e objetivos múltiplos.

1.2.4.3. Ex.: Diagnóstico em equipe ESF

1.2.4.3.1. Não basta que cada profissional contribua a partir de sua área. É preciso que os profissionais estejam ao mesmo tempo em sua área de origem e na área de cada um dos colegas (Iribarry, 2002)

1.3. Nicolescu (1999) fala de três níveis: pluri, inter e trans

1.3.1. Pluridisciplinaridade

1.3.1.1. estudo do objeto de uma só disciplina por várias disciplinas simultaneamente.

1.3.2. Interdisciplinaridade

1.3.2.1. Transferência dos métodos de uma disciplina à outra em três graus:

1.3.2.1.1. 1) grau de aplicação:

1.3.2.1.2. 2) grau epistemológico:

1.3.2.1.3. 3) grau de formação de novas disciplinas:

1.3.2.1.4. O objeto é levado a um novo campo, mas ainda permanece ligado as suas características essenciais.

1.3.3. Transdisciplinaridade

1.3.3.1. Interação entre as disciplinas, para além de toda a disciplina.

1.3.3.1.1. A ação de cada profissional, em sua especificidade, contribui para uma visão global do espaço transdisciplinar (Iribarry, 2002).

1.3.3.2. Finalidade - compreensão do mundo presente

2. ORIGENS

2.1. 1972 - Colóquio da UNESCO sobre Interdisciplinaridade

2.1.1. PIAGET (Japiassu)

2.1.1.1. "Da etapa das relações interdisciplinares, se pode esperar suceder uma etapa superior que será transdisciplinar".

2.1.1.1.1. sistema total

2.1.1.1.2. sem fronteiras entre as disciplinas

2.2. 1986 - Declaração de Veneza

2.2.1. Interesse oficial de cientistas pela transdisciplinaridade

2.2.1.1. Recusa-se projetos globalizantes e sistemas fechados de pensamento. Ciências exatas, ciências humanas, arte e tradição devem promover encontros e trocas.

2.2.1.1.1. A UNESCO deverá estimular a reflexão dirigida para a universalidade e a transdisciplinaridade.

2.3. 1991 - Congresso "Ciência e tradição: perspectivas transdisciplinares para século XXI", Paris.

2.3.1. A transdisciplinaridade não procura o sincretismo entre ciência e tradição, mas sim possíveis interatividades entre os dois campos. Procura ultrapassar a modernidade.

2.3.1.1. Não pode haver especialistas transdisciplinares, mas pesquisadores com atitude transdisciplinar.

2.4. 1994 - Portugal, Carta de Transdisciplinaridade, adotada no Primeiro Congresso Mundial da Transdisciplinaridade

2.4.1. Reconhecimento da existência de diferentes níveis de realidade, regidos por lógicas diferentes.

2.4.1.1. Confrontação e do contato entre as disciplinas dados novos.

2.4.1.1.1. Abertura não somente com as ciências humanas mas também com a arte, a literatura, a poesia e a experiência espiritual.

2.5. 1997 - Suíça, Congresso Internacional "Que universidade para o amanhã?"

2.5.1. A disciplinaridade, a pluridisciplinaridade, a interdisciplinaridade e a transdisciplinaridade são as quatro flechas de um único arco: o do conhecimento.

2.6. 1997 - Basarab Nicolescu pronuncia a conferência "Evolução transdisciplinar da universidade: condição para o desenvolvimento sustentável", Tailândia.

2.6.1. Na presença de vários níveis de realidade, o espaço entre as disciplinas e além das disciplinas está cheio de possibilidades.

2.6.1.1. Pesquisa disciplinar: um único e mesmo nível de realidade; além do mais, na maioria dos casos, refere-se a apenas um fragmento de um nível de realidade. Pesquisa transdisciplinar: diz respeito à dinâmica engendrada pela ação de diferentes níveis de realidade ao mesmo tempo. Nesse sentido, a pesquisa disciplinar e transdisciplinar não são antagônicas, mas complementares (Nicolescu, 1997).

2.7. 2000 - Nicolescu

2.7.1. Co-existência de diferentes níveis de realidade

2.7.1.1. Nível quântico e o nível macrofísico.

2.8. 2001 - Bourguignon

2.8.1. Esforço para integrar ao conhecimento tudo aquilo que não pode ser explicado pelo domínio de uma única disciplina, de modo a se recolocar o homem no centro do conhecimento.

2.8.1.1. Noção de movimento do pesquisador de um campo para outro.

2.9. 2001 - Camus

2.9.1. Necessidade urgente para as universidades. Projeto utópico. Geralmente, o utópico é grandioso.

2.10. 2001 - Passet

2.11. 2001 - Paul

2.11.1. Cultura e Educação como derivados da ética da responsabilidade, os dois aspectos decorrem do desenvolvimento transdisciplinar.

2.11.1.1. Diferentes disciplinas - compõem a cultura e a educação de um povo.

3. Ética da responsabilidade - desenvolvimento da transdisciplinaridade deve ser sempre tomado como algo que parte do pesquisador em intercâmbio com outras áreas, atitude de abertura e contato com o estrangeiro.

4. 5 Princípios Básicos de Iribarry (2003)

4.1. Trabalho em equipe

4.2. Geração de novos dispositivos

4.2.1. Mesmo objeto

4.3. Tomada de decisão horizontal

4.4. Legibilidade e compartilhamento dos discursos

4.5. Familiarização dos profissionais com áreas diferentes da sua

4.5.1. Diálogo

4.5.1.1. Unidade plural do conhecimento

5. DESAFIOS

5.1. OLHAR ATRAVÉS DA LUNETA DA OUTRA DISCIPLINA (Caon, 1998)

5.2. Permanente processo de avaliação

5.3. meta a ser alcançada

5.3.1. Não é algo pronto.

5.4. Em transdisciplinaridade, os dispositivos utilizados para equacionar o problema são mais importantes do que a solução (Caon, 1998)

5.5. Respeito aos diferentes níveis de realidade

5.5.1. Requer humildade e disponibilidade por parte de cada profissional

5.6. Gerar uma civilização movida pela força de um diálogo intercultural.

5.7. Transdisciplinaridade não é um estilo de interação superior . É um nível a ser buscado pelos benefícios para a gestão