A REVISÃO DE TEXTOS: ABORDAGEM DA PSICOLOGIA COGNITIVA

Just an initial demo map, so that you don't start with an empty map list ...

Get Started. It's Free
or sign up with your email address
Rocket clouds
A REVISÃO DE TEXTOS: ABORDAGEM DA PSICOLOGIA COGNITIVA by Mind Map: A REVISÃO DE TEXTOS: ABORDAGEM DA PSICOLOGIA COGNITIVA

1. O processo de redação como processo social, estratégico e dirigido por objetivos (resolve-se o problema textual e preserva-se ao máximo o texto original):

1.1. Pré-escrita ou previsão

1.2. Escritura ou visão

1.3. Reescritura ou revisão

2. Um exame da psicologia faz surgir 3 concepções da revisão, são elas:

2.1. Revisão como modificação efetiva levada a um texto - atividade de retorno ao texto, terminando em uma modificação efetiva deste último (modificação em texto já escrito).

2.2. Revisão como componente do processo de escrita visando melhorar o texto escrito - a revisão visa melhorar o texto e consiste num exame sistemático do mesmo a qualquer momento.

2.3. Revisão como componente do controle da produção escrita - a revisão é considerada como um processo composto que é constituído de vários subprocessos que tem como único objetivo melhorar o texto.

3. Métodos da revisão:

3.1. Estudos dos produtos - descreve precisamente o conjunto das modificações trazidas por um redator a uma versão anterior de um texto redigido por ele ou por outro. As correções efetuadas são categorizadas de acordo com o nível linguístico afetado pela correção (letra, palavra, etc.) e o tipo de correção (acréscimo, supressão, substituição, etc.).

3.2. Análise cronométrica - situa fisicamente e temporalmente os indícios comportamentais recolhidos de maneira a descrever a dinâmica do processo de revisão.

3.3. Método dos protocolos verbais - consiste em pedir a um redator para verbalizar em alta voz tudo o que pensa durante ou depois da revisão de um texto para capturar os conteúdos de sua memória de trabalho. Os dados recolhidos são transcritos e depois analisados.

3.4. Dupla ou tríplice tarefa - o redator possui uma tarefa prioritária (geralmente a tarefa de redação) e a outra tarefa, não prioritária, é chamada de "tarefa secundária" e uma tarefa posterior a essa secundária (dupla), é chamada de "tarefa secundária n° 2" (tríplice).

4. Os subprocessos do processo de revisão:

4.1. O modelo de Hayes e Flower (1980) - é considerada um subprocesso decomposto em dois processos: Leitura (Reading) e Edição (Editing). O subprocesso de edição é destinado ao exame sistemático e automático de tudo o que o redator põe em texto. Ele se comporta como uma espécie de detector-corretor de diferentes tipos de problemas (violação das convenções de escritura, inadequação de sentido, inadequações em relação aos objetivos perseguidos pelo redator etc.).

4.2. O modelo CDO de Scardamalia e Bereiter (1983) - descreve os componentes e a organização de um subprocesso de produção escrita que, segundo eles, está frequentemente implicado na revisão de um texto: o processo CDO (Compare, Diagnose, Operate). Segundo esse modelo, o subprocesso CDO é comparável a um anel de retroação que se aciona quando uma incompatibilidade é detectada entre duas representações mentais estocadas na memória de longo prazo: a representação do texto já escrito e a representação do texto esperado.

4.3. O modelo de Hayes, Flower, Schriver, Stratman e Carey (1987) - contrariamente ao modelo de Scardamalia e Bereiter (1983), é um modelo especificamente concebido para descrever o processo de revisão no quadro da produção escrita. O processo de revisão propriamente dito é subordinado a um primeiro processo, a Definição da Tarefa (Task Definition), que determina a maneira pela qual o redator se representa a tarefa de revisão. Esse processo produz uma representação, depois conserva-a na memória de longo prazo. Essa representação define o objetivo da revisão, o nível (global ou local) no qual ela presumidamente atua, assim como a estratégia global a adotar para revisar o texto. A definição da tarefa pode ser modificada ou não durante o desenrolar do processo de revisão.

4.4. O modelo de revisão de Hayes (1996) - constitui uma tentativa de melhoramento e de clarificação dos modelos iniciais de Hayes e Flower (1980) e de Hayes et al. (1987). Nesse modelo, os três subprocessos do processo de redação, que estavam representados nos modelos anteriores, a saber, o Planejamento, a Tradução e a Revisão, são substituídos respectivamente pelos processos de Reflexão (Reflection), de Produção de Texto (Text Production) e de Interpretação do Texto (Text Interpretation). Neste novo modelo, o subprocesso de Revisão do modelo anterior é, pois, substituído pelo subprocesso de Interpretação do Texto. Segundo Hayes (1996), a função desse processo é criar representações internas a partir de informações de entradas linguísticas e gráficas. Nesse modelo, a revisão não é mais considerada um subprocesso “composto” implicando os três subprocessos de base, que são a Interpretação do Texto, a Reflexão e a Produção de Texto, sendo o conjunto organizado e conduzido por uma Estrutura de Controle (Control Structure), determinando, ao mesmo tempo, quais subprocessos devem ser ativados e em qual ordem.