Ancilostomose

Ancilostomose

Get Started. It's Free
or sign up with your email address
Ancilostomose by Mind Map: Ancilostomose

1. Helmintos nematóides.

2. Parasitas no homem.

2.1. Necator americanus.

2.1.1. Vivem em torno de 4 a 5 anos.

2.1.2. Infecções

2.1.2.1. Afeta o coração e os pulmões.

2.2. Ancylostoma duodenale.

2.2.1. Vivem em torno de 6 a 8 anos.

2.2.2. Espécies de Ancylostoma:

2.2.2.1. Ancylostoma duodenale

2.2.2.2. Ancylostoma caninum

2.2.2.3. Ancylostoma braziliense

2.2.2.4. Ancylostoma ceylanicum

2.2.3. Infecção

2.2.3.1. Se estende do pulmão ao intestino.

3. Estrutura:

3.1. Vermes redondos.

3.2. Cor branca.

3.3. Possui cerca de um centímetro de comprimento.

3.4. Cápsula bucal.

3.4.1. Estrutura de fixação.

3.4.2. Machos e fêmeas possuem.

3.4.3. Ancylostoma Duodenale possui dentes.

3.4.4. Necator americanus possui lâminas.

3.5. Bolsa copuladora.

3.5.1. Machos possuem.

4. Compreendem:

4.1. Vermes adultos, fêmeas e machos.

4.1.1. Fêmeas

4.1.1.1. Medem em torno de 1 cm de comprimento

4.1.1.2. Corpo cilíndrico

4.1.2. Machos

4.1.2.1. São menores.

4.1.3. Possuem:

4.1.3.1. Cutículas.

4.1.3.2. Cápsula bucal.

4.1.3.3. Esôfago.

4.1.3.4. Intestino.

4.1.3.5. Aparelho genital.

4.1.4. Habitat.

4.1.4.1. Porções altas do intestino delgado.

4.2. Ovos.

4.2.1. Aeróbios.

4.2.2. A. duodenale.

4.2.2.1. Põe em torno de 20.000 a 30.000 ovos por dia.

4.2.2.2. Ovóides ou elípticos.

4.2.2.3. Casca fina e transparente.

4.3. Larvas rabditóides.

4.3.1. Larva sai do ovo.

4.3.2. esôfago tipo rabditóide.

4.3.3. Primordial genital.

4.4. Larvas filarióides.

4.4.1. Terceiro estágio.

4.4.2. Ativas no solo.

4.5. Alimentam-se do solo.

5. Ciclo biológico

5.1. Metabolismo aeróbio.

5.2. Ovo presente no solo - larva perfura o ovo ainda no solo - verme penetrante a pele e cai na circulação sanguínea.

5.3. O verme é atraído pelo oxigenio e segue para os pulmões, onde passa para a traqueia, esôfago e estômago até chegar ao intestino.

5.4. No intestino o verme se alimenta de sangue, onde ele se desenvolve.

6. "amarelão"

7. Meios patogênicos

7.1. Classificados em:

7.1.1. Período de invasão.

7.1.1.1. Cutânea.

7.1.1.2. Erupções pápulo-eritematosas.

7.1.1.3. Edemas.

7.1.2. Período migratório.

7.1.2.1. Migração das larvas até o pulmão.

7.1.3. Período do parasita intestinal.

7.1.3.1. Maior parte da manifestação da doença.

8. Transmissão

8.1. via oral, água e alimentos contaminados.

8.2. são mais intensas nas zonas subtropicais e temperadas.

9. Sintomatologia

9.1. Aguda.

9.1.1. Prurido na pele.

9.1.1.1. Aparecer depois da penetração larvar e durar alguns dias.

9.2. Crônica

9.2.1. Parasitas instalados no organismo do H.

10. Diagnóstico

10.1. Clínico

10.1.1. O diagnóstico é sugestivo.

10.1.1.1. Condição de vida.

10.2. Laboratorial.

10.2.1. Exames de fezes.

10.2.1.1. Métodos de Willis.

10.2.1.2. Kato-Katz.

11. Tratamento

11.1. Anti-helmíntico.

11.2. Antianêmico.