HISTÓRIA DA MÚSICA

feito por Thaisa Araruna

Get Started. It's Free
or sign up with your email address
HISTÓRIA DA MÚSICA by Mind Map: HISTÓRIA DA MÚSICA

1. Século 18: Período Clássico

1.1. Ideal musical

1.1.1. Linguagem universal

1.1.2. Linguagem nobre e agradável

1.1.3. Natural (sem complexidades)

1.2. Características Gerais

1.2.1. Melodia

1.2.1.1. DIFERENTE de variação contínua dos motivos

1.2.1.2. Padrão pergunta e resposta / antecedente e consequente

1.2.1.3. Figurações acórdicas

1.2.1.4. Retórica musical

1.2.1.4.1. frase

1.2.1.4.2. período

1.2.1.4.3. inciso

1.2.2. Harmonia

1.2.2.1. harmonia funcional

1.2.2.1.1. corrobora a melodia, com cadências mais fortes e mais fracas

1.2.2.1.2. estabelecida pela organização de centros tonais principais que sistematizam acordes, que possuem entre si uma relação disposta em funções (tônica, dominante, subdominante)

1.2.2.2. Baixo D`Alberti

1.2.2.2.1. dispositivo musical para teclas amplamente utilizado na música do séc. 18

1.2.3. Forma e conteúdo

1.2.3.1. junção de diferentes emoções ou estados de espirito em um a mesma sessão da obra

1.2.4. Forma e conteúdo

1.3. Principais Campos da Produção Musical

1.3.1. Ópera e música vocal

1.3.1.1. Gêneros drama e comedia tratados separadamente --> precursor Pietro Metastasio

1.3.1.1.1. Ópera séria

1.3.1.1.2. Ópera cômica ou buffa

1.3.1.1.3. Reforma da ópera

1.3.1.2. Devido à nova concepção filosófica, a música vocal sacra perde bastante força

1.3.2. Música Instrumental

1.3.2.1. Características Gerais

1.3.2.1.1. frases periódicas - pergunta e resposta

1.3.2.1.2. melodia cantabile

1.3.2.1.3. contraste de textura e estilo e trechos dramáticos

1.3.2.1.4. substituição do cravo pelo pianoforte

1.3.2.2. Sonata

1.3.2.2.1. gênero composicional: 3 ou 4 movimentos contrastantes

1.3.2.2.2. forma composicional, que tem relação direta com a estrutura do discurso retórico

1.3.2.3. Sinfonia

1.3.2.3.1. primeiro compositor a criar a forma madura de sinfonia: Johann Stamitz

1.3.2.3.2. 4 movimentos divididos desta forma:

1.3.2.3.3. principais compositores: Johann Gottlieb Graun e Carl Philipp Emanuel Bach

1.3.2.3.4. Outros centros importantes de produção

1.3.2.3.5. início do estilo sensível (tempestade e ímpeto)

1.3.2.4. Concerto

1.3.2.4.1. Johann Christian Bach

1.3.2.4.2. contrastes de textura

1.3.2.4.3. mantem elementos da forma ritornello

1.3.2.4.4. presença de um cadência

1.4. Primeira Escola de Viena

1.4.1. Haydn

1.4.1.1. mestre da forma e do desenvolvimento racional das ideias

1.4.1.2. obra extensa e principalmente instrumental

1.4.1.2.1. primeiras sinfonias

1.4.1.2.2. sinfonias de 1771 a 1774

1.4.1.2.3. sinfonias de 1774 a 1788

1.4.1.2.4. Sinfonias de Londres

1.4.1.2.5. Quartetos de corda

1.4.1.2.6. Sonatas para piano

1.4.1.2.7. Obras vocais: óperas e cancões para voz e teclado

1.4.1.2.8. Música sacra: caráter alegre

1.4.1.2.9. Oratórios: influência de Haendel

1.4.2. Mozart

1.4.2.1. gênio da inventividade melódica e do lirismo

1.4.2.2. Seu catálogo inclui mais de 600 obras

1.4.2.3. primeiras obras

1.4.2.3.1. associadas às suas viagens de infância

1.4.2.3.2. influenciadas por estilos musicais que entrava em contato

1.4.2.3.3. primeiras sinfonias tem influência italiana e depois de Haydn

1.4.2.4. Sonatas para piano e violino

1.4.2.4.1. piano seu primeiro instrumento

1.4.2.5. Serenatas

1.4.2.5.1. compostas para festas e concertos caseiros

1.4.2.6. Concertos para violino

1.4.2.7. Música sacra

1.4.2.8. Período Vienense

1.4.2.8.1. primeira fase próspera: lecionava, compunha, realizava muitos concertos

1.4.2.8.2. Últimos dez anos de vida: situação financeira difícil, mas foi a fase em que sua obra de maior valor foi criada

1.4.2.8.3. Quartetos Haydn

1.4.2.8.4. Sinfonias

1.4.2.8.5. Concertos para piano e orquestra

1.4.2.8.6. Óperas

1.4.2.8.7. REQUIEM

2. Século 19: Período Romântico

2.1. Beethoven: classiscismo ao romantismo

2.1.1. primeira fase: até 1802

2.1.1.1. assimila a linguagem musical de seu tempo e descobre sua identidade

2.1.1.1.1. sonatas, variações e obras curtas para piano

2.1.1.2. primeira sinfonia composta em 1799 e apresentada em 1800

2.1.1.2.1. segue o caminho clássico de Haydn e Mozart

2.1.2. segunda fase: até 1816

2.1.2.1. revela sua independência,delineando suas ideias musicais aos ideais do romantismo literário

2.1.2.1.1. suas obras dessa fase já são consideradas pertencentes ao Romantismo

2.1.2.2. 1803: composta a terceira sinfonia: Sinfonia Eroica

2.1.2.2.1. expressão imortal do ideal da grandeza heróica na música

2.1.2.3. Opera Fidelio

2.1.2.3.1. 3 atos

2.1.2.3.2. tema da libertação

2.1.2.3.3. personagem principal, Leonore: ser sublime de abnegação e coragem: figura idealizada.

2.1.2.4. Quartetos Rasumovsky

2.1.2.4.1. frequentes mudanças de textura

2.1.2.4.2. várias notas pedal

2.1.2.4.3. fugas

2.1.2.4.4. passagens que exploram os registros extremos de instrumentos

2.1.2.4.5. multiplicidade de temas

2.1.2.5. Quarta e Quinta sinfonia

2.1.2.5.1. trabalhadas simultaneamente e contrastantes

2.1.2.6. Sexta sinfonia: Sinfonia Pastoral

2.1.2.6.1. obra importante ao século romântico

2.1.2.7. Sinfonias n. 7 e n. 8 contrastam entre si

2.1.2.7.1. 7: grandiosa, com longa introdução lenta

2.1.2.7.2. 8: condensada, considerada a mais alegre de suas sinfonias

2.1.2.8. Sonatas para piano com vasta gama de estilos e formas

2.1.3. terceira fase:

2.1.3.1. sua música se torna meditativa e instrospectiva

2.1.3.1.1. exploração intencional dos temas e motivos até o limite de suas potencialidades

2.1.3.2. 1816 a 1821

2.1.3.2.1. últimas sonatas

2.1.3.3. 1823

2.1.3.3.1. Variações Diabelli

2.1.3.4. 1824

2.1.3.4.1. Nona sinfonia

2.1.3.5. 1825 e 1826

2.1.3.5.1. últimos quartetos considerados seu testamentos musical

2.2. Características do Romantismo

2.2.1. afastamento e estranhamento da vida real

2.2.2. busca por transcender uma época, ambicionando a eternidade

2.2.3. busca a liberdade, o movimento, a paixão e a busca do inatingível --> procura de uma perfeição impossível

2.2.4. música instrumental tida como a arte romântica ideal

2.2.5. o artista e sua personalidade se confundem com a obra de arte

2.2.6. obscuridade e ambiguidade intencional

2.2.7. sugestão, alusão, símbolo

2.3. Dualidades Românticas

2.3.1. música e palavra

2.3.1.1. música programática

2.3.1.1.1. = composição de música instrumental associada a um material poético, descritivo ou narrativo que norteia o enredo vivenciado na obra musical

2.3.2. multidão e indivíduo

2.3.2.1. artista pouco sociável

2.3.2.1.1. destinava, seu trabalho a uma posteridade, a um público idealizado.

2.3.3. músicos profissionais e amadores

2.3.3.1. de um lado: músicos virtuosos que lotavam salas de concerto e de outro: música composta para a prática coletiva e fruição familiar

2.3.4. homem e a natureza

2.3.4.1. de um lado as cidades se modernizando; de outro, a natureza como um refúgio, fonte de força e inspiração para o compositor romântico

2.3.5. nacionalismo e internacionalismo

2.3.5.1. o sec. 19 encontra eco nas expressões nacionais, em especial no folclore

2.3.6. tradição e revolução

2.3.6.1. o passado ainda se manifestava na forma-sonata, por exemplo

2.3.6.1.1. havia conservadores e radicais

2.4. Primeira Geração Romântica

2.4.1. Orquestra: mais importante meio de expressão do Romantismo

2.4.2. LIED: principal gênero na música de menor escala

2.4.2.1. tipo de canção para voz e piano

2.4.2.2. agrupadas em coleções chamadas de ciclos: ideia de contar uma história por meio das diversas peças de um mesmo ciclo

2.4.3. Compositores

2.4.3.1. Schubert

2.4.3.1.1. produção significativa em todas as vertentes

2.4.3.2. Berlioz

2.4.3.2.1. peça mais significativa: Sinfonia Fantástica

2.4.3.2.2. utiliza o recurso de "ideia fixa"

2.4.3.2.3. compôs outras duas sinfonias representativas: Haroldo na Itália e Romeu e Julieta

2.4.3.2.4. música sacra

2.4.3.2.5. escreveu um Tratado de Orquestração e Instrumentação

2.4.3.2.6. fundador da orquestração e regência modernas

2.4.3.3. Mendelssohn

2.4.3.3.1. Música orquestral

2.4.3.3.2. Música para piano

2.4.3.4. Schumann

2.4.3.4.1. compôs em todos os gêneros de sua época, mas a produção mais significativa dedica-se ao piano

2.4.3.5. Chopin

2.4.3.5.1. compôs quase exclusivamente músicas para piano solo

2.5. Ópera e Teatro Musical

2.5.1. compositores seguiam tendências nacionais na produção de ópera

2.5.2. temáticas: de histórias épicas a lendas folclóricas

2.5.2.1. de enredos com fortes conotações políticas a tramas com foco nas emoções de personagens na vida privada

2.5.2.2. temáticas caras à classe média

2.5.3. menos efeitos extramusicais

2.5.4. principais compositores

2.5.4.1. Rossini, Bellini, Donizetti, Meyerbeer e Verdi

2.5.4.2. Wagner, na Alemanha

2.5.4.3. Verdi, na Itália

2.5.5. A Grande Ópera Francesa

2.5.5.1. principal compositor desse estilo: Meyerbeer

2.5.5.1.1. temas históricos, políticos ou religiosos

2.5.5.1.2. novos efeitos especiais, balés e coros

2.5.5.1.3. obras destacadas: Robert Le Diable e Les Huguenots

2.5.5.2. Ópera cômica ainda como gênero operístico

2.5.5.2.1. a partir daí surgiu a ópera buffa

2.5.5.3. obra importante: Carmen

2.5.5.3.1. compositor Bizet

2.5.6. Ópera Italiana

2.5.6.1. Rossini: compositor mais influente de ópera cômica da Europa

2.5.6.1.1. obra mais conhecida: O Barbeiro de Sevilha

2.5.6.1.2. suas óperas sérias, Otello e Guilherme Tell, eram igualmente famosas

2.5.6.2. Verdi: um dos principais compositores de ópera do sec. 19

2.5.6.2.1. compôs 26 óperas

2.5.6.2.2. tinha um pensamento nacionalista

2.5.6.2.3. melodia: elemento de produção do impacto dramático

2.5.6.2.4. outros recursos:

2.5.6.2.5. 3 períodos

2.5.7. Ópera Romântica Alemã

2.5.7.1. priorizou o folclore local, a natureza e os elementos sobrenaturais

2.5.7.2. uso crescente de uma harmonia cromática, cores orquestrais para expressão dramática e ênfase nas vozes internas da textura

2.5.7.3. Principal representante: Richard Wagner

2.5.7.3.1. criou o conceito que significa "união de todas as artes"

2.5.7.3.2. suas óperas envolvem não só música e teatro.

2.5.7.3.3. Produção mais importante: o ciclo chamado O Anel dos Nibelungos. Integram esse ciclo as óperas:

2.5.7.3.4. 1850: obras mais maduras

2.6. Segunda Geração Romântica

2.6.1. acesso a músicas do passado lado a lado com as músicas do presente mudou a forma de fazer e entender música

2.6.1.1. surgimento de gêneros como "drama musical" e "poema sinfônico"

2.6.1.2. polarização entre música absoluta e música programática

2.6.2. Principais compositores

2.6.2.1. Liszt

2.6.2.1.1. influenciado pela música programática de Berlioz, quanto pela música pianística de Chopin e Schumann

2.6.2.1.2. piano levado ao seu nível máximo de dificuldade técnica

2.6.2.1.3. música para piano

2.6.2.1.4. sua obra também adquiriu caráter nacionalista, com uso de elementos húngaros

2.6.2.1.5. música orquestral

2.6.2.1.6. suas harmonias cromáticas contribuíram para a formação do estilo maduro de Wagner após 1850

2.6.2.1.7. sua técnica de transformação temática é referência para o século 20

2.6.2.2. Bruckner

2.6.2.2.1. parte significativa de sua produção: música sacra, especialmente coral

2.6.2.2.2. sua obra abrange principalmente sinfonias

2.6.2.2.3. compôs uma missa: Missa n.2 em Mi menor

2.6.2.2.4. sua obras sacras podem ser usadas na liturgia

2.6.2.3. Brahms

2.6.2.3.1. sua música incorporou formas e gêneros tradicionais, com expressividade romântica

2.6.2.3.2. música para piano

2.6.2.3.3. no fim da vida, escreveu seis coleções de peças curtas

2.6.2.3.4. música orquestral

2.6.2.4. Tchaikovsky

2.6.2.4.1. um dos mais aclamados compositores russos do sec. 19

2.6.2.4.2. buscou unir duas tendências

2.6.2.4.3. compôs balés e várias valsas

2.6.2.4.4. também compôs 6 sinfonias, notáveis por seu lirismo, orquestração e qualidade dramática

2.6.2.5. Stemetana e Dvorák

2.6.2.5.1. são da região da Boêmia

2.6.2.5.2. influenciados pelo movimento nacionalista

2.6.2.5.3. buscavam fazer música nacional ao mesmo tempo em que eram vinculados aos gêneros europeus internacionais

2.6.2.5.4. compuseram óperas e música instrumental

2.6.2.5.5. Smetana

2.6.2.5.6. Dvorák