UMA REVOLUÇÃO NA CIÊNCIA!

Get Started. It's Free
or sign up with your email address
UMA REVOLUÇÃO NA CIÊNCIA! by Mind Map: UMA REVOLUÇÃO NA CIÊNCIA!

1. "Que obra de arte é o Homem"

2. Sacralização e dessacralização da natureza: A natureza é reduzida a uma simples dimensão material, mecânica. Abandona-se a personificação e divinização das forças da natureza, nomeadamente a intervenção de divindades na sua origem e sucessão dos fenômenos naturais. A natureza está sujeita a leis necessárias para cujo conhecimento o saber se encaminha. "Coisificada" está apta a ser explorada e manipulada pelo homem segundo os seus próprios interesses.

3. A Revolução Científica: A revolução cientifica foi uma mudança drástica do paradigma social, cultural, artístico e educacional e que fundamenta a Idade Moderna. Fazem parte da revolução científica o racionalismo e o iluminismo, sendo importantes pensadores para o desenvolvimento do método científico filósofos iluministas como Bacon.

4. Uma ressignificação da natureza: O corpo, sede da ação e da consciência, torna-se o tema principal dos artistas e da Ciência. As pinturas e os desenhos de anatomia foram as grandes preocupação da Arte e Ciência do período.

5. Destaques, nesses estudos, foram os cientistas-artistas Andreas Vasalius, Leonardo da Vinci, Jan Wandelaar, Ticiano, Charles Bell, Giovanni Alfonso Borelli, entre outros.

6. O cosmo como objeto da ciência: O homem se separa do cosmo, que passa a ser visto como objeto, conhecendo a possibilidade de domina-ló. O corpo é dessacralização, passando a ser visto como objeto de investigação e de dominação científica. Teocentrismo foi substituído pelo Antropocentrismo.

7. Copérnico- o Heliocentrismo foi o ponto de partida: Heliocentrismo é o nome do modelo estrutural cosmológico que coloca o Sol no centro do universo. A palavra vem da junção dos vocábulos gregos Helios – Sol e Kentron – centro. Opõe-se ao geocentrismo, que colocava a Terra (geo) no centro do universo. Ao retirar a terra do centro do Universo, Copérnico tira a teoria do homem no centro do universo, provocando uma revolução no pensamento ocidental.

8. Galileu: sobre o Universo e suas leis: Galileu Galilei é considerado o pai da ciência moderna ou do Renascimento Científico – período entre 1500 e 1700 tido como era de transição entre a crença religiosa e a razão científica. O cientista foi pioneiro na arte de criar e desenvolver teorias acerca do funcionamento do Universo que ajudaram nos ramos da Física e da Astronomia.

9. A revolução científica foi responsável pelo fim da preensão teocêntrica do mundo e pela adoção em larga escala dos métodos racionais, fato que fundamentou a concepção moderna de mundo.

10. Galileu descobriu também, ao usar o seu telescópio, manchas solares e que Vênus tinha fases como a lua. Provou ainda que a Terra girava em torno do Sol, o que refutava a doutrina aristotélica vigente segundo a qual nosso planeta era o centro do universo (geocentrismo). Ao realizar tais constatações, Galileu comprovou a teoria heliocêntrica de Nicolau Copérnico, segundo a qual a Terra e os planetas giravam em torno do sol. Contudo, na época a Igreja Católica apoiava o modelo geocêntrico do sistema solar: o Sol e o resto dos planetas é que girariam em torno de uma terra central, e não móvel. Por esse motivo, a teoria de Galileu foi considerada uma afronta à Igreja.

11. A máquina de mundo newtoniana: Na concepção newtoniana, Deus criou, no princípio, as partículas materiais, as forças entre elas e as leis fundamentais do movimento. Todo o universo foi posto em movi mento desse modo e continuou funcionando, desde então, como uma máquina, governado por leis imutáveis.

12. A Ciência Moderna e o Silêncio de Pascal: A Ciência Moderna, isto é, a ciência que conseguiu articular o método de observação e experimentação com o uso de instrumentos técnicos (sobretudo o telescópio e o microscópio), começou a se desenvolver, propriamente, na Europa do século XVI. A ciência moderna por intermédio de Galileu, Cøpérnico, Kepler e Newton. Daí para cá, søfreu um grande desenvolvimento, mas foi essencialmente nas últimas décadas que houve um progresso gigantesco que suscita inúmeras questões éticas e morais.

13. A crise da sensibilidade: "Dois excessos: excluir a rezão, admitir apenas a razão- Pascal. O apelo de Pascal nos lança o desafio de reavaliarmos-nos diante da sensibilidade e da emoção para uma reestruturação das relações humanas.

14. "O último esforço da razão é reconhecer que existe uma infinidade de coisas que a ultrapassam"- Pascal.