Administração da Vida Científica

Get Started. It's Free
or sign up with your email address
Administração da Vida Científica by Mind Map: Administração da Vida Científica

1. Alcançar os Objetivos

1.1. "Para atingirmos nossos objetivos, temos que planejar. Para chegar a algum lugar, é necessário saber para onde ir e como chegar lá." p.22

2. Competências do Pesquisador

2.1. Visão Holística

2.2. Auto-disciplina

2.3. Aceitação Crítica

2.4. Humildade

2.4.1. “a humildade para tentar acertar, independentemente da fonte da resposta, é requisito para um bom empreendimento.” p.34

2.5. Lealdade

2.6. Comprometimento

2.7. Dedicação

2.8. Sensibilidade Social

2.9. Flexibilidade / Troca de Experiência

2.10. Auto-determinação

2.11. Seletividade

2.11.1. “O importante é acertarmos na escolha dos critérios para essa seleção” p.78

2.12. Equilíbrio

2.12.1. “portanto, o equilíbrio, a vida científica sustentável, não é modismo, mas necessidade.” p.25

2.13. Paixão

2.13.1. “Aquilo que fazemos com paixão, com certeza fazemos melhor” p.21

2.14. Auto-desenvolvimento

2.15. Confiança

2.15.1. “Mas, para que o sonho se transforme em realidade, é necessário um plano estratégico, confiança, trabalho e persistência.” p.42

2.15.1.1. “No meio científico devemos minimizar isso, pois é parte do perfil do cientista a paixão pela mudança.” p.67

2.16. Disposição para Mudaça

2.16.1. "

2.17. Ética

2.17.1. "A reflexão ética sempre foi importante para as atividades humanas, mas tem se tornado cada vez mais necessária." p.14

2.17.2. "Portanto, espero que a leitura deste livro seja sempre acompanhada de reflexões sobre função ética, numa sociedade pobre e num mundo ainda guiado por injustiças e oportunismos." p.15

3. Prioridades / Organização

4. Planejamento

4.1. Plano de Ação do Projeto

4.2. Método

5. Objetivos

5.1. Foco

5.2. Disciplina

5.2.1. "O crescimento na sua carreira científica depende mais do que da sua eficiência científica. Não basta fazer boas pesquisas. É necessário planejamento." p. 74

6. Causas / Interferências Internas e Externas

6.1. Descontrole

6.2. Desorganização

6.3. Improdutividade

6.4. Procrastinação

6.5. Resistência

6.5.1. “ o burocrata tender a ser resistente às mudanças das regras preconizadas” p.66

6.6. Vitimização

6.7. Inflexibilidade

6.7.1. “ A inflexibilidade diante das mudanças torna a regra inoperante ou até mesmo contraproducente.” p.66

6.8. Falta de Comunicação

7. Metodologia para Organização Pessoal, Profissional e Acadêmica

7.1. Priorizar

7.1.1. "Priorização por blocos A = importantíssimas, cujo prejuízo por não realiza-las é muito grande. B = importantes, mas cujo prejuízo por não realiza-las é tolerável. C = relevantes se realizadas, mas sem grandes consequências se não forem feitas." p.78

7.2. Eficiência

7.2.1. "Se o tempo não é elástico, então temos que otimizá-lo, pois para tudo precisaremos de algum tempo." p.50

7.3. Resiliência

7.3.1. "Embora nossas visões e missões não sejam geralmente alteradas, as metas e os objetivos sofrem grande influência dessas fases. É dentro delas que devemos considerar nossa administração da vida científica". p. 29

7.4. Agenda

7.4.1. “ possuir uma agenda é importante, mas usá-la é muito mais.” p. 61

7.5. Qualidade da Ciência

7.5.1. Aplicabilidade da Pesquisa

8. Estratégias para Administrar a Vida Científica

8.1. "Portas Fechadas"

8.1.1. "o fechamento de portas num ambiente em que as pessoas circulam com certa liberdade pelos corredores pode ser a saída ideal." p.61

8.2. Imersão / Retiro

8.3. Saber Ouvir

8.4. Mente Aberta

8.5. Equilíbrio